Loader
Um olhar para o trânsito
25874
post-template-default,single,single-post,postid-25874,single-format-standard,bridge-core-2.3.6,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-22.2,qode-theme-bridge,disabled_footer_top,disabled_footer_bottom,qode_header_in_grid,wpb-js-composer js-comp-ver-6.2.0,vc_responsive

Um olhar para o trânsito

Um olhar para o trânsito

Nesse vídeo da série Dicas com o João da Nica, o alerta fica para o contato visual no trânsito

Existe uma regra básica na direção defensiva que se aplica a todos os usuários das vias terrestres, que é o “VER E SER VISTO”. Esta regra se aplica a todos os usuários do trânsito: motoristas, motociclistas, pedestres e ciclistas.  A maioria dos acidentes são causados pela falta de atenção e cuidados indispensáveis à segurança no trânsito, a má visibilidade é uma falta de atenção gravíssima, por isso, é imprescindível ver e ter a certeza de que está sendo visto por todos.

Sou motociclista profissional há mais de 10 anos, viajando nas estradas ou no trânsito urbano, e infelizmente, tenho presenciado diariamente a ausência deste principio fundamental à segurança viária. Já presenciei vários acidentes que poderiam ter sido evitados se houvesse atenção no trânsito. Olhar, ver e ter certeza que estão lhe vendo.

Tenho percebido as pessoas muito dispersas, devido à correria do dia a dia somado ao uso indevido do celular por todos que transitam (quase podemos classificar esse uso como uma epidemia); vejo também o tempo todo pedestres atravessando as ruas digitando no celular, motoristas usando o celular até mesmo em estradas, caminhoneiros que já presenciei tirando as mãos do volante para digitar ou para pegar algum objeto na sua cabine, além de motociclistas conduzindo e falando com celular preso ao capacete, perdendo a atenção exclusiva no trânsito e deixando de seguir o princípio de ver se visto.

Eu já sofri várias fechadas por motoristas que não olham o retrovisor, desconsiderando os pontos cegos do veículo. Realizando conversões sem se certificar, através do olhar, que aquela manobra será uma manobra segura e realizam com a tranquilidade como se estivessem em uma pista exclusiva, onde somente ele existe naquele cenário, desconsiderando que compartilhamos a via pública com os diversos usuários que nela existem. Desconsideram que os veículos de maior porte são responsáveis pela segurança dos menores, os motorizados pelos não motorizados e todos pela incolumidade dos pedestres. Ser responsável pela segurança e pelo “não dano” aos usuários das vias é um dever de todos, pois manter o trânsito seguro é um dever de todos.

Já evitei vários acidentes por utilizar este princípio básico da direção defensiva. Sempre que conduzo minha moto procuro olhar não somente para os meus retrovisores, mas também virar a cabeça para os lados para aumentar o ângulo de visão, já me salvou de muitas situações de perigo. Procuro olhar muito para o retrovisor dos motoristas para me certificar se ele está me vendo e, na maioria das vezes ele não está.

O uso da buzina como advertência, para avisar que você está ali é muito importante, observar o pedestre, que esteja disperso, que deveria estar mais atento ao atravessar uma via, enfim, manter a atenção no trânsito utilizando o princípio de ver e ser visto é fundamental para mantermos um trânsito mais seguro para todos.

Rafael Souza é Observador Certificado do Rio de Janeiro
Professor especialista em segurança no trânsito, consultoria em trânsito, gestor em trânsito, palestras e treinamentos.

Olho no olho é o quinto vídeo da série Dicas com João da Nica.  Acompanhe os conselhos dado por quem entende o dia a dia do motociclista!

No Comments

Post A Comment