Matérias

OBSERVATÓRIO elenca 7 atitudes perigosas de condutores

Escrito por Portal ONSV

31 JAN 2017 - 11H01

Respeito às regras, bom senso e conscientização podem fazer a diferença entre concluir o trajeto com tranquilidade ou envolver-se em acidentes

Espaços compartilhados exigem comportamentos adequados. É assim, por exemplo, no trabalho, na escola e em vários outros locais onde a divisão do espaço com outras pessoas torna fundamental as melhores posturas. No trânsito não é diferente. Com o agravante de que qualquer comportamento não indicado, por mínimo que seja, pode colocar em risco a vida de pessoas; a de quem o praticou, inclusive.

Neste sentido, o respeito às regras, a atenção, entre outros, podem fazer a diferença entre concluir o trajeto com tranquilidade ou envolver-se em acidentes que, muitas vezes, podem trazer consequências terríveis, como a perda de vidas e a mutilação permanente de pessoas, e que geram, além disso, danos não apenas físicos como emocionais, financeiros e sociais a todos, mesmo que indiretamente.

No sentido de contribuir para a construção de um trânsito menos violento, o OBSERVATÓRIO Nacional de Segurança Viária elenca sete posturas altamente inadequadas e que, seguramente, estão entre as causas comuns de acidentes.

Confira quais são:

- Usar o celular enquanto dirige: ler uma mensagem de texto com o veículo a 80km/h equivale a percorrer às cegas a distância relativa a um campo de futebol.

- Dirigir alcoolizado: não existe limite seguro para se beber quando se vai dirigir; portanto, nunca beba se for dirigir.

- Dirigir colado ao veículo da frente: é fundamental que seja mantida uma distância segura em relação ao veículo que vai à frente para evitar, por exemplo, as colisões traseiras.

- Dirigir acima da velocidade permitida: além de constituir infração às leis de trânsito, é um comportamento de risco, que pode ser responsável por acidentes graves.

- Não sinalização por setas: trocar de pista sem comunicar essa intenção pela seta obriga o motorista na pista ao lado a frear bruscamente, às vezes sem o tempo hábil de evitar a colisão.

- Não usar o cinto de segurança (inclusive no banco traseiro): em uma colisão frontal a 60km/h, o passageiro que viaja no banco de trás sem cinto é arremessado com peso equivalente a 1 tonelada sobre o passageiro que estiver em sua frente.

- Deixar de realizar manutenção no veículo: a falta de cuidados mecânicos é também um fator importante quando a proposta é evitar acidentes.

 

                                                       

Univasf_recebe_comite_regional_prevencao_acidentes_moto
Observadores Certificados

Hospital Universitário da Universidade Federal do Vale do Francisco/PE recebe Comitê Regional de Prevenção aos Acidentes de Moto

O Hospital Universitário da Universidade Federal do Vale do Francisco (HU-Univasf), em Pernambuco, recebeu, no final de maio, a visita de um grupo de membros do Comitê Regional de Prevenção aos Acidentes de Moto (CRPAM) e representantes do OBSERVATÓRIO Nacional de Segurança Viária e do Observatório de Segurança Pública do Município de Petrolina. O objetivo foi mostrar in loco, a partir dos fluxos de atendimentos e internações no Hospital, as repercussões dos sinistros de transporte terrestre para a saúde pública. O HU-Univasf é um dos 45 hospitais gerenciados pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh).

SP2_330_pessoas_morreram_atropeladas_na_capital_de_sao_paulo_em_2023
Matérias

330 pessoas morreram atropeladas na capital de São Paulo em 2023

O SP2, telejornal da TV Globo, da última quinta-feira (13), alertou sobre o crescente risco no trânsito para os pedestres na capital e Grande São Paulo. Somente em 2023, 330 pessoas morreram atropeladas na capital paulista. O CEO do OBSERVATÓRIO Nacional de Segurança Viária, Paulo Guimarães, reforçou a necessidade de investimento em campanhas de educação para o trânsito durante a reportagem.

Observador_certificado_ministra_palestra_camara_de_vereadores_de_sao_borja_rs
Observadores Certificados

Observador Certificado ministra palestra sobre segurança viária na Câmara de Vereadores de São Borja/RS

A palestra “Trânsito (in)seguro: Responsabilidades Compartilhadas”, foi ministrada no plenário da Câmara de Vereadores do município de São Borja, no Rio Grande do Sul, pelo Observador Certificado e representante do Maio Amarelo 2024, Eduardo Cadore, no final do mês de maio.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro!

Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou de uma informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Portal ONSV, em Matérias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.