OBSERVATÓRIO | Campanha em parceria com o OBSERVATÓRIO incentiva uso de cinto em ônibus no MS
8327
post-template-default,single,single-post,postid-8327,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-10.1.1,wpb-js-composer js-comp-ver-5.0.1,vc_responsive

Campanha em parceria com o OBSERVATÓRIO incentiva uso de cinto em ônibus no MS

Campanha em parceria com o OBSERVATÓRIO incentiva uso de cinto em ônibus no MS

Iniciativa já desenvolveu várias ações de conscientização sobre o assunto tanto na capital quanto em cidades do interior do estado

Com parceria do OBSERVATÓRIO Nacional de Segurança Viária, uma campanha mobiliza o Mato Grosso do Sul para o uso do cinto de segurança nos ônibus. Lançada com a presença do governador Reinaldo Azambuja, a iniciativa idealizada pela Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos do Mato Grosso do Sul (Agepam) já desenvolveu várias ações de conscientização, inclusive no Terminal Rodoviário de Campo Grande, além de cidades do interior do estado. A mobilização foi elaborada para sua primeira etapa durar três meses, pegando o período de férias escolares, no qual as viagens de ônibus são mais constantes no estado.

A campanha utiliza diversas peças de comunicação e procedimentos, abordando a segurança individual e coletiva dos passageiros, para fazer um apelo à adesão ao uso do cinto. Manter o equipamento afivelado do momento em que se sai da rodoviária, ou outro ponto de embarque, e durante todo o trajeto até chegar ao destino, pode salvar vidas em caso de acidentes.

As mensagens chegam à população por meio de uma série de atividades, como distribuição de folhetos a respeito do assunto e orientação aos passageiros em processo de viagem, a partir do Terminal Rodoviário de Campo Grande e alguns do interior; fixação de cartazes sobre o tema nos terminais rodoviários, nos guichês de vendas de passagem em diferentes locais, em locais de grande fluxo de passageiros, etc.; spots radiofônicos que estão sendo veiculados via Rádio Educativa do estado; palestras em instituições e escolas que serão realizadas a partir do início do período escolar; comandos educativos em estradas realizados pela fiscalização da Agepan, ANTT e PRF; veiculação de vídeo a respeito do tema dentro dos ônibus que tiverem equipamento para tanto e via TVE; via Portaria da Agepan, a respeito de obrigações das operadoras do transporte intermunicipal com relação à fixação da informação relativa à obrigatoriedade do uso do cinto de segurança e  outras providências; participação do mascote “Fiscalino” da Agência na interação com o público durante as palestras, e mesmo nos comandos educativos, além de ilustrações com dicas e informações divulgadas em matérias de comunicação social.

Além disso, foi criada uma página específica para a ação, cujo banner está disponível no site da Agepan na internet, onde podem ser encontradas diversas informações, materiais e ações realizadas. A campanha também está inserida na Operação Rodovida Integrada, e as ações de distribuição de folhetos e orientação aos usuários do transporte de passageiros intermunicipal e interestadual têm sido executadas em conjunto com as outras instituições participantes do programa. Além do OBSERVATÓRIO, são parceiros também na mobilização o governo do estado, a PRF, a ANTT, o Ministério Público Federal/Procuradoria da República/MS, além da concessionária CCRMSVia.

Desde 1999 todos os ônibus rodoviários no Brasil são obrigados a sair de fábrica com o cinto de segurança em cada poltrona. Apesar disso, os passageiros não têm o hábito de utilizar o equipamento. Na avaliação do diretor-presidente do OBSERVATÓRIO, José Aurelio Ramalho, usar o cinto de segurança em ônibus é de fundamental importância para a segurança dos passageiros e tem de ser atitude comum a todos os que se utilizam desse modal. “O cinto de segurança pode salvar vidas. Então, porque negligenciá-lo?”, defende.

Confira algumas informações e orientações do material da campanha:

Você sabia que o passageiro que usa o cinto de segurança tem 7 vezes mais chance de escapar vivo em um acidente?

O uso do cinto de segurança pelos passageiros de qualquer veículo, inclusive ônibus e vans nas estradas, é obrigatório. A legislação que estabelece essa obrigatoriedade é o Código de Trânsito Brasileiro em seu artigo 65. E a sua utilização pode salvar vidas em caso de acidentes durante as viagens.

Também de acordo com a legislação federal, todos os ônibus e vans utilizados no transporte entre municípios, estados e outros países, fabricados a partir de 1.999, já saem de fábrica com o cinto disponível em todas as poltronas.

Apesar disso, a grande maioria dos passageiros (2%) que viajam no transporte coletivo, intermunicipal e interestadual, não faz uso do cinto, muitas vezes por desconhecimento de seus benefícios, por achar incômodo ou mesmo por achar que não é necessário.

Quando estamos em um veículo em movimento temos a sensação de que estamos parados. Entretanto isso é um engano, pois nosso corpo está em movimento da mesma forma que o veículo. Quando acontece uma frenagem brusca, o veículo para, mas nosso corpo continua em movimento e é arremessado para frente, se não estivermos usando o cinto de segurança, pesando até 5 vezes mais que nosso peso normal. Nessa situação, o passageiro pode se ferir ao bater em superfícies duras dentro do veículo; pode quebrar a janela e ser arremessado para fora; pode ser arremessado contra outro passageiro provocando graves ferimentos, até mesmo a morte.

Estudos da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia indicam que, no caso de acidente de ônibus em que todos os ocupantes estejam usando o cinto de segurança, o número de mortos e feridos pode ser 75% menor.

Sem comentários

Escreva um comentário