OBSERVATÓRIO | Comprou veículo seminovo? Esteja atento para a transferência e documentação
8202
post-template-default,single,single-post,postid-8202,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-10.1.1,wpb-js-composer js-comp-ver-5.0.1,vc_responsive

Comprou veículo seminovo? Esteja atento para a transferência e documentação

Comprou veículo seminovo? Esteja atento para a transferência e documentação

Trafegar de acordo com o que estabelecem as regras é também atitude do motorista consciente, que se preocupa com a segurança no trânsito

Comprou um carro seminovo e está se preparando para viajar com ele neste final de ano? As vendas de veículos usados tiveram expressiva alta no primeiro semestre deste ano, mas um detalhe não pode ser esquecido pelo proprietário: a transferência do bem para o seu nome. Isso porque, no caso de ela não ter sido feita no prazo de 30 dias desde a aquisição, o novo proprietário pode receber punição (multa e 5 pontos no prontuário).

A transferência deve ser realizada toda a vez que o veículo mudar de dono. Para fazê-la, o novo proprietário precisa do CRV (Certificado de Registro de Veículo), documento que deve estar assinado pelo vendedor e com firma reconhecida em cartório.

Necessita também do RG ou CNH (Carteira Nacional de Habilitação), CPF, comprovante de residência, laudo de vistoria do Detran (Departamento de Trânsito) do estado e comprovante de pagamento de taxas relativas à transferência. Essa documentação tem de ser original, mas deve ser levada também uma cópia simples.

Além da apresentação dos documentos o novo proprietário deverá arcar com os custos da transferência. Os valores são variáveis de estado para estado. O procedimento deve ser feito junto ao Detran, nos postos avançados do departamento ou na Ciretran da cidade.

Se o carro adquirido não estiver no nome do vendedor, quem o comprar arcará com dois pagamentos relativos a duas transferências, ou seja; do terceiro para o vendedor e do vendedor para o comprador. No caso de haver qualquer débito vinculado ao veículo, será necessário quitá-los antes de o processo ser iniciado.

Estar em dia com documentação pode evitar problemas para o novo proprietário. Afinal não é nem um pouco agradável ter a viagem comprometida, ou até mesmo a circulação cotidiana nas vias das cidades. Comportar-se de acordo com as regras é também um dos comportamentos esperados de motoristas conscientes que prezam pela segurança nas vias.

Sem comentários

Escreva um comentário