OBSERVATÓRIO | DENATRAN estimula apoio de órgãos públicos e entidades de classe ao Maio Amarelo
16801
post-template-default,single,single-post,postid-16801,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-10.1.1,wpb-js-composer js-comp-ver-5.0.1,vc_responsive

DENATRAN estimula apoio de órgãos públicos e entidades de classe ao Maio Amarelo

DENATRAN estimula apoio de órgãos públicos e entidades de classe ao Maio Amarelo

Proposta é agregar grande número de organizações e empresas ao Movimento, diz coordenador do órgão

Parceiro do OBSERVATÓRIO Nacional de Segurança Viária em acordo de cooperação técnica firmado no último dia 18, o DENATRAN (Departamento Nacional de Trânsito), está encaminhando ofício a vários órgãos governamentais, agências reguladores e entidades de classe sugerindo que também apoiem o Movimento Maio Amarelo.

Contar com a participação desses segmentos é indispensável para que o Movimento Maio Amarelo expanda ainda mais sus mensagem de preservação de vidas no trânsito e a conscientização de que a escolha de cada um faz a diferença neste aspecto.

Coordenador de Educação do Departamento, Francisco Garonce explica que “conforme está definido pelo Conselho Nacional de Trânsito – CONTRAN, o DENATRAN está enviando todos os esforços no sentido de agregar um grande número de organizações e empresas ao movimento Maio Amarelo”, diz.

Garonce afirma já ter recebido a confirmação dos Departamentos de Trânsito de vários estados de que monumentos de diversas cidades brasileiras estarão iluminados de amarelo durante todo mês de maio, chamando a atenção das pessoas para a importância da reflexão sobre a segurança no trânsito.

Na avaliação do diretor-presidente do OBSERVATÓRIO, José Aurelio Ramalho, iniciativas como esta do DENATRAN são extremamente importantes para a conscientização proposta pelo Movimento Maio Amarelo. “Somando forças ampliamos o potencial de conscientização da sociedade sobre o grave problema das mortes e feridos graves em acidentes de trânsito nas vias e nas rodovias do país (e do mundo)”, diz.

Sem comentários

Escreva um comentário