OBSERVATÓRIO | Direção hidráulica: saiba que cuidados tomar para mantê-la em ordem
8290
post-template-default,single,single-post,postid-8290,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-10.1.1,wpb-js-composer js-comp-ver-5.0.1,vc_responsive

Direção hidráulica: saiba que cuidados tomar para mantê-la em ordem

Direção hidráulica: saiba que cuidados tomar para mantê-la em ordem

Componente deixou, ao longo dos anos, de ser item opcional para se tornar praticamente necessidade

Nos dias atuais, conduzir um veículo com direção hidráulica tornou-se comum, já que ela passou de item opcional a praticamente uma necessidade por conta da facilidade que proporciona para a realização de manobras. Ocorre que, assim como qualquer outro componente de um veículo, a direção hidráulica também requer cuidados e manutenção.

Essa necessidade pode ser notada, por exemplo, se ao esterçar a direção do veículo seu condutor ouvir um barulho semelhante ao ‘inhéééé’. Do mesmo modo, ao sentir o volante pesado, o indicativo é de desgaste de peças do mecanismo. E tem mais: alguns destes sintomas podem vir acompanhados de vazamentos de fluído pelas mangueiras da bomba; isso pode comprometer todo o sistema.

Óleo sujo e vencido pode ser uma das causas dos problemas, além do desgaste natural dos componentes da própria bomba hidráulica que, com o tempo, podem apresentar folgas excessivas. A bomba hidráulica possui diversos componentes complexos, entre eles a carcaça, (ou cabeçote), eixo, rotor, excêntrico e palhetas, sendo esses dois últimos os principais causadores de ruídos.

A causa do ‘inhéééé’ é a não subida das palhetas que correm dentro do excêntrico à medida  que a rotação aumenta. Isso pode se dar por conta da sujeira que se deposita nesses componentes. Com isso, formam-se bolhas de ar entre as palhetas e a carcaça da bomba, surgindo o ruído quando se vira o volante, indicando cavitação no sistema (formação de bolhas), deixando então a direção mais pesada.

Geralmente quando aparecem estes sintomas, o reparo da bomba é trocado e o custo não chega a ser elevado. Caso a bomba esteja muito gasta será necessário substituí-la por uma nova e, aí sim, a um custo mais significativo.

Estar atento às condições da direção hidráulica é fundamental. Para evitar problemas, verifique sempre se há vazamentos no sistema e confira o estado da correia e da tensão. Adotar alguns cuidados ao dirigir, como não encostar em guias e calçadas e evitar “dar batente” ( manobrar com o volante no fim do curso para um dos lados), são cuidados necessários também para manter as boas condições da direção hidráulica.

Checar sempre o nível do fluido e sua qualidade são vitais para manter o sistema em boas condições. Se estiver escuro e sujo o melhor a fazer é trocá-lo ou a cada 30 ou 40 mil km.

Conheça algumas dicas para cuidar da direção e seu veículo:

  • Comece pelo nível de fluido do reservatório. Retire a tampa e cheque o nível. Geralmente existem marcas indicando a leitura do nível com o motor quente ou frio. Para esclarecer melhor, consulte o manual do proprietário como se deve medir, pois alguns tipos de tampas têm diferentes marcas de medição.
  • Se o nível estiver um pouco baixo e limpo, apenas complete. Use sempre o fluido indicado pelo fabricante. Se o fluido estiver escuro e sujo troque-o. Se o nível estiver muito baixo, pode haver vazamentos. Acompanhe o curso das mangueiras em busca de vazamentos. Caso o vazamento esteja nas conexões das mangueiras com a bomba, geralmente é de fácil solução. Quase sempre o vazamento ocorre na mangueira de alta pressão e um simples reaperto na conexão ou abraçadeira resolve. Já se o vazamento estiver na caixa de direção ou no eixo da bomba, o conserto deve ser feito em uma oficina especializada.
Sem comentários

Escreva um comentário