OBSERVATÓRIO | Maio Amarelo é tema de caderno especial da Folha de São Paulo
15178
post-template-default,single,single-post,postid-15178,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-10.1.1,wpb-js-composer js-comp-ver-5.0.1,vc_responsive

Maio Amarelo é tema de caderno especial da Folha de São Paulo

Maio Amarelo é tema de caderno especial da Folha de São Paulo

Suplemento foi publicado na edição de sábado, 14 de maio e, além de dados sobre o Movimento e sua organização no Brasil e no mundo,  trouxe também orientações sobre DPVAT, velocidade e educação como foco para redução de acidentes

O Maio Amarelo e a segurança no trânsito foram temas de um caderno especial publicado pela Folha de São Paulo neste sábado, dia 14 de maio. Nas quatro páginas do suplemento, que contém entrevistas e orientações o Movimento “Maio Amarelo: #EuSou + 1 por um trânsito mais seguro” mereceu destaque.

Na publicação foi explicado o que é Movimento, como surgiu, suas propostas e objetivos, além de toda a movimentação que ocorre neste ano de 2016, durante a terceira edição da mobilização Maio Amarelo, que enfoca, desta vez, a velocidade e a necessidade de uso do cinto de segurança, em especial no banco traseiro, no Brasil e no mundo. Criado pelo OBSERVATÓRIO Nacional de Segurança Viária (ONSV), o Maio Amarelo acontece em 400 cidades brasileiras e em 25 países dos 5 continentes.

Com patrocínio da Seguradora Líder e da Volkswagem, o caderno traz também informações sobre a Educação como foco de redução de acidentes de trânsito, sobre o uso do Seguro DPVAT em caso de acidentes e sobre os custos para o país, principalmente para o sistema de saúde pública, dos acidentes de trânsito.

O diretor-presidente de ONVS, José Aurelio Ramalho, lembra que, os acidentes nas vias e rodovias do país geram custos próximos de RE 52 bilhões ao ano no Brasil. Isso sem considerar as perdas de vidas e as sequelas permanentes que muitos deles causam às pessoas. Ramalho lembra que cerca de 60% dos leitos hospitalares no Brasil são ocupados por vítimas de acidentes, o que ocasiona menor redução de oferta para o atendimento às outras causas.

No Brasil mais de 43 mil pessoas morreram em 2014 (último dado oficial disponível) em decorrência de acidentes de trânsito. E foi para contribuir com a redução deste número que o ONVS criou há 3 anos o Movimento Maio Amarelo. “Temos de incentivar a Educação no trânsito, a gentileza, o respeito às determinações legais, para que esta situação mude.  Afinal, quem mata não é o carro, o ônibus, o caminhão ou a moto. Quem mata são as pessoas que conduzem os veículos. Não é aceitável que morra tanta gente por conta desta causa”, pondera.

Mobilização multissetorial, o Maio Amarelo conta com calendário fixo de temáticas denomida Agenda Positiva, com t emas escolhidos estrategicamente para serem trabalhados, com a intenção de ampliar a segurança viária para os mais diversos segmentos: motoristas, pedestres, ciclistas e sociedade em geral. O Movimento acredita que, ao eleger estes assuntos e evidenciá-los na mídia e para a sociedade, um importante passo a preservação das vidas no trânsito está sendo dado.

Sem comentários

Escreva um comentário