OBSERVATÓRIO | Mudanças impostas pelo Código de Trânsito Brasileiro foram abordadas pelo Jornal da Record
17974
post-template-default,single,single-post,postid-17974,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-10.1.1,wpb-js-composer js-comp-ver-5.0.1,vc_responsive

Mudanças impostas pelo Código de Trânsito Brasileiro foram abordadas pelo Jornal da Record

Mudanças impostas pelo Código de Trânsito Brasileiro foram abordadas pelo Jornal da Record

A série do Jornal da Record, que conta com a participação do OBSERVATÓRIO Nacional de Segurança Viária, mostra o que mudou depois de 20 anos do novo Código de Trânsito Brasileiro.

Duas décadas de leis duras no trânsito não impediram que 700 mil pessoas morressem nas ruas e estradas do País desde que o novo Código em vigor. Uso do cinto de segurança, da cadeirinha e a lei seca foram conquistas da nova lei. No entanto, a reportagem do jornalista Rodrigo Vianna questiona o que falta para mudar, de fato, o cenário que consome bilhões em dinheiro público e destrói milhares de famílias brasileiras.

Para José Aurelio Ramalho, diretor-presidente do OBSERVATÓRIO, a redução no número de mortes registrada nos últimos dois anos não pode ser considerada uma vitória, já que o número comparado proporcionalmente ao crescimento da população faz o número de vítimas também aumentar.

Em 2001 a média era de 17,7 mortes para cada 100 mil habitantes. Em 2015 a média foi de 18,9 mortes para cada 100 mil habitantes. “O grande desafio é mudar a maneira que nós formamos o condutor. Hoje nós adestramos a decorar placas e legislações e não temos a preocupação de focar na percepção do risco”, asseverou Ramalho.

Assista a primeira reportagem da série: https://noticias.r7.com/jornal-da-record/videos/serie-jr-mostra-o-que-mudou-depois-de-20-anos-do-novo-codigo-de-transito-22012018

Sem comentários

Escreva um comentário