OBSERVATÓRIO | OBSERVATÓRIO é ouvido pelo jornal da EPTV sobre o aumento de acidentes com mortes nas maiores cidades da região de Campinas
23343
post-template-default,single,single-post,postid-23343,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-10.1.1,wpb-js-composer js-comp-ver-5.0.1,vc_responsive

OBSERVATÓRIO é ouvido pelo jornal da EPTV sobre o aumento de acidentes com mortes nas maiores cidades da região de Campinas

OBSERVATÓRIO é ouvido pelo jornal da EPTV sobre o aumento de acidentes com mortes nas maiores cidades da região de Campinas

Matéria do jornal da EPTV, afiliada da TV Globo, de ontem (21/11), abordou o aumento significativo de acidentes de trânsito nas maiores cidades da região de Campinas (SP). O OBSERVATÓRIO Nacional de Segurança Viária, por meio do seu diretor-presidente, José Aurelio Ramalho, foi ouvido pela reportagem.

Segundo dados do Infosiga, nas cidades de: Americana, Campinas, Indaiatuba, Limeira, Piracicaba e Sumaré, o aumento de acidentes fatais ocorrido entre janeiro e outubro deste ano, chegou a 253 vítimas, e durante o mesmo período de 2018, o registro foi de 235 acidentes com óbitos. Houve um aumento percentual de 8% entre 2018 e 2019, cerca de 25 acidentes com mortes por mês neste ano.

Conforme esses dados, o número de pessoas que perderam a vida no mesmo dia do acidente também subiu nesse mesmo período – de janeiro a outubro de 2019 -, foram 193 vítimas, comparado ao período de 2018, foram 171 vítimas.

Como explica o diretor-presidente do OBSERVATÓRIO: “A fatalidade e a lesão grave na rodovia é maior que no perímetro urbano, justamente associado a questão da velocidade. O maior problema dos acidentes que ocorrem é por imprudência, imperícia do condutor. Isso tudo é fruto de uma má formação do condutor. O nosso condutor é adestrado a tirar habilitação, a decorar placas e não ter percepção de risco, e se você não tem percepção de risco, você não muda o comportamento”, argumenta.

Para Ramalho: “O transitar, o compartilhamento do espaço público no trânsito, é uma questão de cidadania. É você respeitar o outro, o ciclista, o motociclista, o pedestre e esse convívio é muito importante. Então, a escola é fundamental e também, estamos aprimorando a formação do condutor focado na percepção de risco”, conclui.

Assista a matéria em: https://g1.globo.com/sp/campinas-regiao/noticia/2019/11/21/cidades-da-regiao-tem-media-de-25-acidentes-de-transito-com-mortes-por-mes-em-2019.ghtml

Sem comentários

Escreva um comentário