OBSERVATÓRIO | OBSERVATÓRIO faz palestras sobre segurança viária na Goodyear
7343
post-template-default,single,single-post,postid-7343,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-10.1.1,wpb-js-composer js-comp-ver-5.0.1,vc_responsive

OBSERVATÓRIO faz palestras sobre segurança viária na Goodyear

OBSERVATÓRIO faz palestras sobre segurança viária na Goodyear

A importância da direção responsável baseada em práticas seguras de condução, e a adoção de comportamentos mais gentis foram abordadas nas apresentações

A segurança viária, a importância da direção responsável  baseada em práticas seguras de condução, e a adoção de comportamentos mais gentis por parte dos motoristas dos diversos modais em benefício de um trânsito mais humano e seguro e da redução do elevado número de mortos e feridos graves nas vias e rodovias brasileiras foram abordados por Daniela Gurgel, Gestora de Comunicação do OBSERVATÓRIO Nacional de Segurança Viária – ONSV, em palestras proferidas na Goodyear.

Os encontros integram as atividades da Semana Nacional de Trânsito, que teve como tema “Eu sou + um por um trânsito + seguro”, programadas pela empresa tanto em sua        fábrica no município de Americana, quanto no escritório, na capital do estado de São Paulo.

Durante as palestra, Daniela, apresentou dados relativos ao elevado número de mortes ocasionadas por acidentes de trânsito no país, destacando também o significativo número de pessoas que, após acidentes acabam por contrair sequelas irreversíveis. Tudo isso, lembrou a gestora, além de custo emocional para as famílias, gera custo financeiro, que em 2014, por exemplo, foi da ordem de R$ 56 bilhões. Lembrou ainda que cerca de 60% dos leitos no país disponibilizados a traumatizados são ocupados por vítimas de acidentes de trânsito.

O trânsito mais seguro e mais humano, disse Daniela, depende também de pequenas, mas significativas, mudanças de comportamento tanto de condutores de veículos quanto de pedestres. Ser gentil, desculpar-se por eventuais falhas, respeitar a faixa de pedestre, são atitudes que podem fazer a diferença. E, além delas, o cumprimento das regras de trânsito, o utilizar as setas para sinalizar manobras, os faróis para comunicar-se com pedestres e outros condutores, o não abuso na utilização da  buzina contribuem para que cada um possa ‘ser a diferença no trânsito”.

Sem comentários

Escreva um comentário