OBSERVATÓRIO | OBSERVATÓRIO Nacional de Segurança Viária comenta reportagem do Jornal Hoje, da TV Globo, sobre tempo do semáforo para travessia de pedestres
23729
post-template-default,single,single-post,postid-23729,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-10.1.1,wpb-js-composer js-comp-ver-5.0.1,vc_responsive

OBSERVATÓRIO Nacional de Segurança Viária comenta reportagem do Jornal Hoje, da TV Globo, sobre tempo do semáforo para travessia de pedestres

OBSERVATÓRIO Nacional de Segurança Viária comenta reportagem do Jornal Hoje, da TV Globo, sobre tempo do semáforo para travessia de pedestres

Reportagem especial desenvolvida pelo jornalista Alan Severiano, para o Jornal Hoje, da TV Globo, aborda o tempo do semáforo para a travessia de pedestres e suas dificuldades em vias movimentadas das cidades brasileiras. O OBSERVATÓRIO Nacional de Segurança Viária, comentou sobre o assunto.

A insegurança e o curto tempo dado aos pedestres para atravessarem as ruas é o foco da reportagem que constata ser um problema, principalmente aos idosos, que somam aumento de 11% no número de atropelamentos no estado de São Paulo. No Brasil, o dado mais recente é de 2017, e constata 6.469 mortes de pedestres, 17 óbitos por dia.

Segundo dados levantados em 15 cidades do país pela ONG Corrida Amiga, os veículos possuem mais tempo de semáforo que os pedestres. Em São Paulo, a maioria dos semáforos é ajustada para quem consegue andar mais rápido, cerca de 1,2 metros por segundo, quando o ideal seria 80 centímetros por segundos.

Belo Horizonte reduziu o tempo para 90 centímetros por segundo, e Curitiba adotou a leitura do cartão de transporte público de idoso nos semáforos para aumentar o tempo de travessia para os mesmos. Iniciativas que buscam melhorias para a mobilidade urbana.

Para o coordenador de relacionamentos do OBSERVATÓRIO, Marcius D’Ávila: “Lá [Curitiba], teve uma redução de 42% no número de mortes dos idosos por atropelamento. Para o idoso, o caminhar, faz parte do processo de socialização. Então, ele precisa ter essa segurança de ir para a rua e ter o seu tempo respeitado”, diz.

Marcius enfatiza: “Independente do tempo de travessia, o motorista tem que respeitar a travessia do pedestre na faixa. Em algum momento do dia, você será pedestre”, conclui.

Assista a matéria completa: https://globoplay.globo.com/v/8227439/

1Comentário

Escreva um comentário