OBSERVATÓRIO | OBSERVATÓRIO participa de Desafio Intermodal em Curitiba
7220
post-template-default,single,single-post,postid-7220,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-10.1.1,wpb-js-composer js-comp-ver-5.0.1,vc_responsive

OBSERVATÓRIO participa de Desafio Intermodal em Curitiba

OBSERVATÓRIO participa de Desafio Intermodal em Curitiba

Evento visa avaliar melhor meio de transporte para um percurso determinado de 10 quilômetros, em horário de pico

O OBSERVATÓRIO Nacional de Segurança Viária – ONSV participa nesta sexta-feira, 23 de setembro, do 10º Desafio Intermodal de Curitiba, no Paraná. O evento reunirá diferentes modais de transporte para avaliar qual a forma mais eficiente de locomoção pela cidade entre 18h e 19h, intervalo de tempo considerado horário de pico. O ONSV será representado no evento por seu vice-presidente, Mauro Gil.

Organizado pelo Programa Ciclovia, da Universidade Federal do Paraná (UFPR), o Desafio Intermodal conta com apoio da Prefeitura de Curitiba, dos cursos de Engenharia Civil e Arquitetura da universidade e parceria do Instituto Lactec.

O desafio consiste em uma comparação entre os diferentes modais, que saem às 18h do Centro Politécnico da UFPR e retornam até o ponto de chegada, em frente ao prédio histórico da universidade, na Praça Santos Andrade. Os desafiantes podem escolher o caminho que acharem melhor para a realização do trajeto, mas têm, necessariamente, de passar por um ponto intermediário: o Escritório Verde da UTFPR, antes de partirem para o ponto final. Todos os participantes são monitorados em tempo real por equipamento de rastreamento pessoal, zTrax.

O objetivo  é avaliar, em um percurso de aproximadamente dez quilômetros, qual o meio de transporte mais eficiente para se deslocar no horário de pico em um grande centro urbano, utilizando três quesitos de avaliação: tempo de deslocamento, custos para o usuário e emissão de poluentes.

Os dados, coletados ao longo do percurso, resultarão em médias, que somadas, indicarão o modal mais eficiente. Ao final do desafio, os participantes devem responder a um questionário sobre a experiência, avaliando pontos sobre a infraestrutura urbana, como ciclovias, iluminação pública, sinalização, calçadas, pontos de maior congestionamento e educação no trânsito. Após o desafio é disponibilizado um relatório com os dados de avaliação e resultados, que será utilizado pela Setran.

Sem comentários

Escreva um comentário