OBSERVATÓRIO | Propostas e projetos do ONSV são mostrados no Palácio dos Bandeirantes
7229
post-template-default,single,single-post,postid-7229,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-10.1.1,wpb-js-composer js-comp-ver-5.0.1,vc_responsive

Propostas e projetos do ONSV são mostrados no Palácio dos Bandeirantes

Propostas e projetos do ONSV são mostrados no Palácio dos Bandeirantes

Em evento do Cedatt, Paulo Guimarães, diretor-técnico do ONSV falou do compromisso com a segurança Viária

As propostas, projetos e ações do OBSERVATÓRIO Nacional de Segurança Viária, voltadas à preservação de vidas no trânsito foram apresentadas por seu diretor-técnico, o engenheiro Paulo Guimarães, nesta quarta-feira, dia 21 de setembro,  no Palácio dos Bandeirantes, em São Paulo, em evento do Conselho Estadual para a Diminuição dos Acidentes de Trânsito e Transportes (Cedatt).

Em sua apresentação, Guimarães ressaltou a contribuição que o OBSERVATÓRIO pode dar para a melhoria do quadro de acidentes de trânsito nas vias e rodovias brasileiras onde, segundo dados oficiais do DataSUS, aproximadamente 44 mil pessoas perderam a vida apenas em 2014.

O evento contou, também, com a participação de Eduardo Abramovay, organizador do 1º Festival Brasileiro de Filmes Sobre Mobilidade e Segurança Viária – Mobifilm -, realizado em agosto passado, no qual o vídeo “Não são números, são vidas”, do OBSERVATÓRIO foi vencedor na categoria Instituições Oficiais. Abramovay exibiu aos participantes do evento do Cedatt, os filmes vencedores. As mudanças no Código de Trânsito Brasileiro (CTB) foram abordadas no encontro, pelo Capitão Jullyver.

De acordo com Guimarães, o OBSERVATÓRIO tem muito a contribuir para a redução do número de mortes em acidentes de trânsito, seja por meio de suas análises sobre a questão, seja por meio de suas estatísticas abrigadas em seu Portal íris, ou por meio de seu Programa de Gestão do Trânsito Municipal (PGTM)  que contribui para que municípios possam detectar os principais pontos onde ocorrem o maior número de acidentes  –  e a partir disso elaborar ações para a redução -, pelo Portal SOMA, ou ainda, com ações de conscientização da sociedade sobre a necessidade de que outra realidade no trânsito possa ser vivida, como o Movimento Maio Amarelo.

Sem comentários

Escreva um comentário