Matérias

Observatório lança nova enquete. Opine sobre agressividade no trânsito

Escrito por Portal ONSV

31 JUL 2015 - 16H32

Aproveite e confira os resultados sobre a consulta sobre idade mínima para se dirigir no país 

O ONSV (OBSERVATÓRIO Nacional de Segurança Viária) acaba de lançar uma nova enquete para os internautas, em seu site. A consulta dessa quinzena traz a questão: “Em tempos de crise, a pressão psicológica pode influenciar o comportamento no trânsito? Você já brigou no trânsito, colocando-se em risco e, também, os outros?” Os internautas poderão escolher entre três opções: muitas vezes, algumas vezes e nunca.

Essa enquete ficará no ar por 15 dias, coletando a opinião de todos. A questão da agressividade no trânsito chama a atenção das entidades de segurança viária em todo o mundo. As cenas de violência e brigas, que podem chegar em situações extremas como mortes, ou mesmo pequenos estresses com buzinaços, xingamentos, não são raras nas vias.

Há quem aposte que em período de crises, os condutores se tornam ainda mais agressivos em razão das pressões econômicas, do desemprego e dos medos que esse período pode trazer. O que você pensa sobre esse tema? Acesse nosso site, queremos conhecer sua opinião:www.onsv.org.br

88% afirmam que jovem não tem maturidade para dirigir aos 16

""

Nos últimos 15 dias, o OBSERVATÓRIO ouviu a sociedade sobre o tema envolvendo a idade mínima para se dirigir no Brasil. O assunto foi motivado pela discussão da redução da maioridade penal e pela redação atual do artigo 140 do Código de Trânsito Brasileiro, que colocou em alerta as entidades de segurança no trânsito pelo receio de mudança na idade mínima para a Permissão para Dirigir (PPD).

No levantamento, 88% afirmaram que os jovens de 16 anos não têm maturidade para tirar a sua primeira CNH (Carteira Nacional de Habilitação); 9% defendem que sim, que aos 16 anos o jovem está preparado para assumir esse papel e 3% colocaram que talvez possam estar prontos para isso.

O posicionamento do OBSERVATÓRIO é claro sobre a matéria. A entidade não acredita que o jovem tenha maturidade suficiente para dirigir aos 16 anos, tanto que defendeu o pedido de mudança urgente no CTB (Código de Trânsito Brasileiro) para que os candidatos à Permissão para Dirigir (PPD) continuem tendo 18 anos completos. O Projeto de Lei 2263/2015, de autoria do deputado Hugo Leal, foi protocolado na Câmara dos Deputados, no dia 7 de julho, com esse teor.

O grande receio da entidade é que as ruas teriam ainda mais condutores inexperientes e imaturos, ampliando-se os riscos para a segurança viária do país.

Sistema_anchieta_imigrantes_tem_o_ano_mais_letal_de_toda_a_serie_historica
Observadores Certificados

SISTEMA ANCHIETA-IMIGRANTES/SP TEM O ANO MAIS LETAL DE TODA A SÉRIE HISTÓRICA

A matéria do Diário do Grande ABC da última segunda-feira (27), alertou que, segundo dados do Infosiga, sistema de monitoramento do governo estadual gerenciado pelo Detran-SP (Departamento de Trânsito de São Paulo), o número de mortes no trânsito nas rodovias do SAI (Sistema Anchieta-Imigrantes) de concessão da Ecovias, no Grande ABC - estado de São Paulo -, é o maior da série histórica, divulgada desde 2015. O Observador Certificado Régis Frigeri avaliou boas práticas que promovem a segurança do trânsito nas rodovias a pedido da reportagem.

Observador_Certificado_paestra_santa_summit
Observadores Certificados

OBSERVADOR CERTIFICADO É UM DOS PALESTRANTES DO SANTA SUMMIT

O doutor em Mobilidade Urbana, professor da UFSM (Universidade Federal de Santa Maria) e Observador Certificado, Carlos Félix, foi um dos palestrantes durante o Santa Summit. Realizado entre os dias 24 e 25 de novembro, o evento abordou diversas temáticas com base em cinco pilares: Educação, Inovação, Empreendedorismo, Negócios e Sustentabilidade, em Santa Maria, Rio Grande do Sul.

Modelos_preditivos_para_sinistros_de_transito
Observadores Certificados

MODELOS PREDITIVOS PARA SINISTROS DE TRÂNSITO

A segurança viária é uma prioridade incontestável em todo o mundo, uma vez que sinistros de trânsito não apenas resultam em perdas significativas de vidas humanas, mas também têm impactos econômicos e sociais substanciais. Em busca de estratégias mais eficazes de prevenção e intervenção, os modelos preditivos de sinistros de trânsito emergem como ferramentas cruciais na compreensão dos fatores subjacentes à ocorrência desses eventos e na antecipação de riscos potenciais. Esses modelos abrangem desde abordagens estatísticas tradicionais, oferecendo insights valiosos para planejadores urbanos, engenheiros de tráfego e autoridades de segurança viária.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto