fbpx
Loader
MULHERES E MOTOCICLETAS: A PRÓXIMA PARADA É ROSA
29066
post-template-default,single,single-post,postid-29066,single-format-standard,bridge-core-2.3.6,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-22.2,qode-theme-bridge,disabled_footer_top,qode_header_in_grid,wpb-js-composer js-comp-ver-6.2.0,vc_responsive,elementor-default,elementor-kit-28047

MULHERES E MOTOCICLETAS: A PRÓXIMA PARADA É ROSA

MULHERES E MOTOCICLETAS: A PRÓXIMA PARADA É ROSA

Observadora Certificada destaca desconstrução de gênero e comportamentos mais seguros das mulheres no trânsito

O caderno de Mobilidade do Jornal Estado de S.Paulo de ontem (16), abordou o crescente interesse das mulheres em obter a habilitação para pilotar motocicletas. A Observadora Certificada pelo OBSERVATÓRIO Nacional de Segurança Viária, Jucimara Fernandes, que atua em Poços de Caldas/MG, destacou que, em comparação aos homens, as mulheres demonstram comportamentos mais seguros no trânsito. Essa matéria foi desenvolvida na parceria firmada entre OBSERVATÓRIO – que propôs o tema – e o Estadão – que desenvolveu a matéria.

A cada ano, aumenta o interesse das mulheres, em todo o Brasil, em obter habilitação para pilotar motocicletas. Nos Centros de Formação de Condutores (CFCs), onde as aulas ocorrem, é comum que os instrutores utilizem motos menores que facilitem, ao máximo, o processo de aprendizagem para que os candidatos sintam segurança durante o treinamento.

“Mas, ao final desse período, após passarem pelos períodos de estudo e prática veicular, vemos que muitas mulheres acabam optando por motos com cilindradas maiores”, conta Jucimara Fernandes, observadora certificada pelo OBSERVATÓRIO.

Ao desconstruir estereótipos de gênero, as mulheres, além de pilotar motocicleta de alta cilindrada, participam de eventos e criam grupos para estimular o vínculo social e a condução segura, acompanhando o avanço das novas tecnologias e o lançamento de equipamentos atrativos ao público feminino.

“Mesmo observando crescimento no número de condutoras, o percentual de mulheres envolvidas em sinistros de trânsito, quando comparadas aos homens, é sempre menor, demonstrando que elas pilotam com mais cautela”, explica a observadora certificada.

Leia a matéria completa, em: https://mobilidade.estadao.com.br/meios-de-transporte/mulheres-e-motocicletas/

Foto: Divulgação Cristina Galo e Arquivo Pessoal

No Comments

Post A Comment