OBSERVATÓRIO | 12 de Outubro
812
post-template-default,single,single-post,postid-812,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-10.1.1,wpb-js-composer js-comp-ver-5.0.1,vc_responsive

12 de Outubro

12 de Outubro

Todo dia é dia de segurança no trânsito!

Veja como transportar com segurança nossas crianças:

No dia das crianças, o Observatório deseja que todos os pais e responsáveis transportem nossas crianças com carinho e segurança. Veja os equipamentos e como devem ser usados.

Um recém-nascido deve sair da maternidade no bebê-conforto, instalado no banco de trás de costas para o banco da frente. Esse equipamento deve ser usado até aproximadamente a criança completar 1 ano de idade sempre de costas para o fluxo do trânsito.

2222

De 1 a 4 anos, a criança já deve ser transportada na cadeirinha de segurança instalada no banco de trás de frente para o fluxo.

333

Dos 4 aos 7 anos e meio, os pequenos ganham o assento de elevação ou booster, que deve também ser fixado num cinto de três pontos sempre no banco de trás. A criança só deve deixar de usar esse equipamento quando apoiar por completo os dois pés no assoalho do carro. O assento de elevação, já permite que a criança use o cinto de segurança do adulto, porém o assento faz com que o cinto não segure a criança pelo pescoço e sim pelo osso omoplata que liga o pescoço ao ombro.

111

A criança só deve ir para o banco da frente depois de completar dez anos. Se, desde a maternidade, os pais ou os responsáveis por essa criança, tratarem o cuidado ao transitar de forma consciente e protetora, esse cidadão nunca vai transitar sem cinto de segurança. Comportamento se constrói, principalmente quando falamos de crianças. Muitos adultos hoje se incomodam com o cinto, mas se tivessem acostumados desde a infância, hoje seria um hábito tão corriqueiro, que não haveria qualquer incômodo. Dia das crianças e dia também de um transitar seguro. Lembrando que todos nós podemos e devemos fazer mais por um trânsito seguro.

444

 

Sem comentários

Escreva um comentário