Loader
Ação estimula regularização de motofretistas e abre vagas em cursos profissionalizantes
18763
post-template-default,single,single-post,postid-18763,single-format-standard,bridge-core-2.3.6,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-22.2,qode-theme-bridge,disabled_footer_top,disabled_footer_bottom,qode_header_in_grid,wpb-js-composer js-comp-ver-6.2.0,vc_responsive

Ação estimula regularização de motofretistas e abre vagas em cursos profissionalizantes

Ação estimula regularização de motofretistas e abre vagas em cursos profissionalizantes

A Loggi, plataforma digital de entregas expressas, em parceria com a Prefeitura de São Paulo, o Observatório Nacional de Segurança Viária, Sest/Senat, aproveita o Maio Amarelo para promover a segurança no trânsito das grandes capitais lançando o movimento #ProfissãoMotofrete. O objetivo é valorizar a profissão de motofretista por meio da regularização dos profissionais de categoria: são mais de 300 vagas em cursos profissionalizantes e 50% de desconto em praças selecionadas¹.

Segundo dados da Prefeitura de São Paulo, apenas 3% dos 220.000 motofretistas que circulam hoje pela capital paulista estão regularizados. Uma pesquisa realizada pelo Hospital das Clínicas mostrou ainda a importância da capacitação adequada, ao apontar que 67% das vítimas de acidentes de moto aprenderam a conduzir sozinhas e 45% conduziam a menos de dois anos.

Para ajudar com as dificuldades da regularização, que incluem alto custo de documentação e difícil acesso aos cursos capacitantes, o #ProfissãoMotofrete levará palestras educacionais aos profissionais e abriu neste mês vagas para cursos de motofrete no Rio de Janeiro e, em São Paulo, ainda há desconto para os interessados. Durante o ano, a iniciativa chegará também em Curitiba, Belo Horizonte e Porto Alegre.

“Nossa missão com esta campanha é promover a regularização, que acreditamos ser a chave para aumentar a segurança desses profissionais e do trânsito nas grandes capitais como um todo”, explica Greg Balasko, diretor financeiro e porta-voz da Loggi.

Para ser um motofretista regularizado é necessário fazer o curso capacitante obrigatório para a categoria, ter no mínimo 21 anos e dois anos de habilitação, para obter um documento chamado Condumoto. Além disso, é preciso ter placa vermelha e ser original de fábrica, com menos de oito anos de uso.

“A regularização dos motofretistas é importantíssima para que possamos ter os serviços oferecidos por esta categoria tão importante, principalmente nas grandes cidades, sejam realizados de forma segura e dentro dos procedimentos legais”, afirma José Aurélio Ramalho, diretor-presidente do Observatório Nacional de Segurança Viária.

Saiba mais sobre a iniciativa no site: http://profissaomotofrete.com.br/

¹Desconto válidos para os cursos em São Paulo. No Rio de Janeiro, o curso em parceria com a Escola Pública de Trânsito é gratuito.

No Comments

Post A Comment