OBSERVATÓRIO | Bicicletas como meio de locomoção: o que saber para se proteger e proteger o ciclista
22909
post-template-default,single,single-post,postid-22909,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-10.1.1,wpb-js-composer js-comp-ver-5.0.1,vc_responsive

Bicicletas como meio de locomoção: o que saber para se proteger e proteger o ciclista

Bicicletas como meio de locomoção: o que saber para se proteger e proteger o ciclista

A primavera está aí e com ela, as tardes são mais longas e prazerosas. Sair do trabalho e dar uma volta de bicicleta, tanto para manter a saúde em ordem, como para espairecer pode ser um bom programa todos os dias. Se você preferir, pode também pedalar antes de começar sua rotina diária. Pedalar é sempre um excelente programa, mas, é preciso alguns cuidados, principalmente se você vive numa cidade que já tem muita gente e muitos carros.

O Programa Laço Amarelo vai falar da bicicleta como meio de locomoção nesse mês de outubro, afinal a bicicleta é, para muitos, o primeiro brinquedo da infância. Com rodinhas para apoiar o pneu traseiro, é a bicicleta o primeiro veículo depois que aprendemos a andar. E ela vai crescendo ao longo do tempo, juntamente com seu dono. Depois de dois ou mais anos, a bicicleta também é trocada, para acompanhar a estatura e também os novos horizontes que a criança ganha, conforme o tempo passa.

Porém, é importante ir também educando as crianças ao longo desse tempo. Depois dos 12 anos, a criança já precisa entender que bicicleta é um veículo, definido pelo CTB (Código de Trânsito Brasileiro) e precisa seguir as regras previstas nessa lei. Mais importante ainda é saber que, mesmo não havendo punição, é fundamental respeitar o que diz a lei, simplesmente para se proteger e não machucar ninguém.

Andar na rua junto com os carros, onde não houver ciclovia ou ciclofaixa é uma importante regra e que muitos desconhecem, afinal calçada é para quem está a pé. Respeitar o semáforo vermelho, exatamente como fazem os carros é outra regra que a bike deve seguir. Se você quer mesmo estar protegido, use capacete ao pedalar. Isso não está na lei, mas é importante. Além disso, não deixe de equipar sua bicicleta com buzina, retrovisores e adesivos refletivos na frente, atrás, dos lados, nas rodas e nos pedais, tudo isso para que você seja visto.

Usar roupas claras também é uma atitude de segurança, principalmente se você pedala a noite. Sinalizar suas intenções com os braços é fundamental para que o ciclista se comunique com quem vai num outro veículo. Nesse caso, o braço funciona como se fosse a seta do carro.

Agora, se você tem um carro ou um caminhão, agradeça toda vez que ver um ciclista. Ele está contribuindo para um carro a menos pelas ruas, menos pessoas doentes por falta de exercício físico e não está poluindo o planeta. E também proteja quem está de bike, ou seja, não tire “fina” e reduza a velocidade.

Quem sabe, a atitude dele não lhe influencia e você também volta a pedalar. Isso pode lhe trazer boas lembranças, além de ajudar o meio ambiente e sua saúde. E aí, vai pedalar quando?

Sem comentários

Escreva um comentário