OBSERVATÓRIO | Mais três vias passam a ter velocidade reduzida
2921
post-template-default,single,single-post,postid-2921,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-10.1.1,wpb-js-composer js-comp-ver-5.0.1,vc_responsive

Mais três vias passam a ter velocidade reduzida

Mais três vias passam a ter velocidade reduzida

Radares já flagram quem ultrapassa os 50 km/h nas avenidas Jacu-Pêssego, Aricanduva e São João; objetivo é diminuir acidentes e mortes

A partir desta segunda-feira, os radares já flagram quem ultrapassa os 50 km/h nas avenidas Jacu-Pêssego e Aricanduva, em São Paulo. Nos últimos dias, toda a sinalização foi trocada e faixas alertam os motoristas sobre a nova regulamentação nas vias da zona leste. As marginais também já estão funcionando com velocidade reduzida.

A justificativa da prefeitura de São Paulo é a redução deve diminuir a gravidade de acidentes e o número de mortes.

Dados da CET (Companhia de Engenharia de Trafego) indicam que, em 2014, a Jacu-Pêssego foi a quinta via com mais ocorrências na capital. Entre janeiro de 2011 e dezembro de 2014, a via registrou 100 atropelamentos e 474 acidentes, com um saldo de 780 pessoas feridas e 72 mortes.

No mesmo período, de acordo com os números apresentados pelo órgão de trânsito, na avenida Aricanduva e no elevado, aconteceram 828 acidentes, que resultaram em 1.286 pessoas feridas e 45 mortes. Soma-se a esse balanço outros 132 atropelamentos.

Também a partir desta segunda-feira, o limite foi reduzido para 50 Km/h na Amaral Gurgel, Olímpio da Silveira e São João, no centro. No corredor da região, segundo a companhia, foram 60 acidentes com vítimas e 43 atropelamentos entre janeiro de 2013 e dezembro de 2014. No total, 111 ficaram feridas e 2 morreram.

O motorista que for flagrado acima desse limite poderá ser multado em até R$ 574,62 e somar 7 pontos na carteira de habilitação.

Com as mudanças de hoje, quatro das cinco vias com mais mortos em acidentes terão as velocidades máximas reduzidas: as marginais, a Jacu-Pêssego e a estrada de Itapecerica, zona sul, que teve o limite fixado em 50 km/h na semana passada. Somente a estrada do M`Boi Mirim, também na zona sul, ainda não teve alteração. Segundo a CET, não há previsão para a mudança.

O diretor-presidente do Observatório Nacional de Segurança Viária, José Aurelio Ramalho, disse que estudos internacionais mostram que a velocidade média de 50 km/h possibilita a sobrevivência em caso de atropelamento. A entidade é favorável à redução das velocidades nas marginais, adotadas há duas semanas. “É uma diretriz mundial.”

Fonte: Band.com

Sem comentários

Escreva um comentário