OBSERVATÓRIO | OBSERVATÓRIO comenta no Jornal Metro sobre queda no número de multas no estado do Espírito Santo
23723
post-template-default,single,single-post,postid-23723,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-10.1.1,hide_inital_sticky,wpb-js-composer js-comp-ver-5.0.1,vc_responsive

OBSERVATÓRIO comenta no Jornal Metro sobre queda no número de multas no estado do Espírito Santo

OBSERVATÓRIO comenta no Jornal Metro sobre queda no número de multas no estado do Espírito Santo

A edição do Jornal Metro do estado do Espírito Santo de sexta-feira (10/01), trouxe a matéria sobre a queda no número de multas naquele estado, entretanto com aumento de mortes nas estradas. Para falar sobre esse assunto, a repórter Priscilla Thompson ouviu o diretor de relações institucionais do OBSERVATÓRIO Nacional de Segurança Viária, Francisco Garonce.

Entre 2018 e 2019, o número de multas por excesso de velocidade caiu 56% no estado do Espírito Santo. Foram 276.192 infrações a menos registradas por radares, segundo o Detran-ES (Departamento Estadual de Trânsito). Conforme explica o órgão, o principal motivo foi o desligamento de parte dos aparelhos em rodovias federais determinada em abril do ano passado e a suspensão do uso de equipamentos móveis pela PRF (Polícia Rodoviária Federal) em agosto do mesmo ano.

Por outro lado, entre janeiro e dezembro de 2019, o número de mortes nas estradas do estado subiu 7,1%. Mesmo com a redução das multas, o excesso de velocidade é uma das infrações mais cometidas.

O diretor de relações institucionais do OBSERVATÓRIO, Francisco Garonce, lembra que o excesso de velocidade é uma das principais causas de acidentes com mortes: “Um estudo realizado no país pela SOS Estrada identificou que houve aumento do número de acidentes nos meses seguintes à suspensão dos radares. A segurança no trânsito está sustentada em três pilares: a educação para o trânsito, a engenharia (dos veículos e das vias) e a fiscalização. Se você tira um dos pilares, os outros não se sustentam”, diz.

Garonce argumenta que a expectativa é de melhoria para este novo ano. Uma vez que em dezembro, após decisão da Justiça, os radares móveis voltaram a ser usados pela PRF.

Leia a matéria completa em: https://rm.metrolatam.com/pdf/2020/01/10/20200110_espiritosanto.pdf

Foto: de Olivier26

Tags:
Sem comentários

Escreva um comentário