OBSERVATÓRIO | OBSERVATÓRIO fala ao AUTOPAPO sobre desafios para diminuição de mortes no trânsito no país
23914
post-template-default,single,single-post,postid-23914,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-10.1.1,wpb-js-composer js-comp-ver-5.0.1,vc_responsive

OBSERVATÓRIO fala ao AUTOPAPO sobre desafios para diminuição de mortes no trânsito no país

OBSERVATÓRIO fala ao AUTOPAPO sobre desafios para diminuição de mortes no trânsito no país

A cidade alemã de Lüdenscheid (com cerca de 74 mil habitantes), conseguiu manter o índice de zero mortes no trânsito em sete anos consecutivos, de 2012 a 2018. Graças a esse feito, recebeu recentemente o prêmio Dekra Vision Zero, durante um evento anual que acontece em Bruxelas, na Bélgica. O portal AUTOPAPO conversou com o diretor de relações institucionais do OBSERVATÓRIO Nacional de Segurança Viária, Francisco Garonce, sobre os desafios que o Brasil enfrenta para alcançar essa meta.

O desafio da ONU para a redução das mortes no trânsito em 50% na década 2011-2020, no Brasil, tem como destaque a cidade de Salvador (BA), local onde aconteceu o II Fórum Vida no Trânsito. No encontro, o OBSERVATÓRIO revelou as ações práticas que desenvolve e contribui para a segurança viária, além de destacar as atividades desenvolvidas em 2020, e apresentar o Programa Educa através do diretor de relações institucionais, Francisco Garonce.

“É através dele que vamos conseguir mudar não só o comportamento, mas principalmente a atitude das pessoas, o que só se faz através de processos educativos, em que os indivíduos não deixam de cumprir a lei para não serem punidos, mas porque internalizam o entendimento de que a atitude segura no trânsito existe para proteger o indivíduo, a sociedade e a convivência harmônica”, avalia, Garonce.

Garonce informa que o OBSERVATÓRIO dá assessoramento aos municípios que tiverem interesse efetivo em participar do Programa Vida no Trânsito.

“E trabalhando junto ao Ministério da Saúde para fazer com que as regras sejam esclarecidas e colocadas de forma tal que os municípios participem, porque o que se investe em educação, ações de engenharia e de fiscalização na área de trânsito se reverte em uma economia muito maior, principalmente nas despesas relacionadas a internações e a tratamentos decorrentes dos eventos de trânsito”, encerra.

Mais de mil cidades atingiram o objetivo do Vision Zero, segundo Stefan Kölbl, CEO da Dekra: “O que comprova ser possível eliminar mortes no trânsito e que os esforços para isso devem continuar, pois qualquer fatalidade do gênero é inaceitável”, diz.

Através do mapa interativo do mundo, é possível acompanhar on-line (https://www.dekra-vision-zero.com/map/) as cidades com mais de 50 mil habitantes que atingiram zero mortes no trânsito em pelo menos um ano a partir de 2009.

Leia a matéria completa em: https://autopapo.com.br/noticia/zerar-mortes-transito-cidades/

1Comentário
  • JOSE ALFREDO BRANDAO E SOUSA
    Postado às 13:48h, 12 fevereiro Responder

    Claro que é possível, para isso precisamos de políticas públicas continuas, independente da mudança de governos. Penso que a melhor maneira é criar Lei, que deverá ser obedecida pela população e principalmente pelos gestores públicas, pois os serviços públicos não podem ser descontinuados. Já somos amparados pela Constituição, que se promulgue uma lei complementar.

Escreva um comentário