OBSERVATÓRIO | OBSERVATÓRIO fala como é possível reduzir impacto dos acidentes de trânsito no orçamento das prefeituras
18282
post-template-default,single,single-post,postid-18282,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-10.1.1,wpb-js-composer js-comp-ver-5.0.1,vc_responsive

OBSERVATÓRIO fala como é possível reduzir impacto dos acidentes de trânsito no orçamento das prefeituras

OBSERVATÓRIO fala como é possível reduzir impacto dos acidentes de trânsito no orçamento das prefeituras

A edição da revista Prefeitos&Gestões de janeiro/fevereiro traz em suas páginas entrevista com o diretor-presidente do OBSERVATÓRIO Nacional de Segurança Viária, José Aurelio Ramalho, que fala sobre o impacto dos acidentes de trânsito no orçamento das prefeituras.

Estudos do OBSERVATÓRIO comprovam que o Brasil gastou, em 2015, R$ 52 bilhões com acidentes de trânsito. Isso significa que cada brasileiro dispendeu em média R$ 255,69 ao longo de 2015 com hospitais, médicos, infraestrutura, medicamentos, pronto-atendimento, entre outros gastos, tenha sido ele vítima ou não de um acidente.

Como mudar essa realidade? De acordo com Ramalho, é possível mudar essa realidade desenvolvendo um programa de Educação para o Trânsito com abrangência em vários setores do município como escolas, faculdades, universidades, aos empresários, aos motoristas de táxi e ônibus, aos cidadãos de forma geral. O OBSERVATÓRIO desenvolveu um programa permanente de redução de acidentes de trânsito, chamado “Município Laço Amarelo”, que com um baixíssimo investimento o município receberá conteúdos de Educação para o Trânsito para atuarem em diversas frentes (mídias sociais / TV’s / rádios / etc).

“Trata-se de uma ferramenta para auxiliar o gestor público na tomada de decisões. O objetivo é auxiliar os municípios na gestão segura do trânsito, bem como incentivar a sociedade a adotar posturas desejáveis durante o ato de transitar a pé ou com veículo automotor”, destaca o diretor-presidente.

Clique no link para ler a matéria completa: Revista Prefeitos & Gestões – Edição Janeiro-Fevereiro 2018

Sem comentários

Escreva um comentário