OBSERVATÓRIO | Prêmio Veja-se: “estar entre os indicados já é um importante reconhecimento”
20150
post-template-default,single,single-post,postid-20150,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-10.1.1,wpb-js-composer js-comp-ver-5.0.1,vc_responsive

Prêmio Veja-se: “estar entre os indicados já é um importante reconhecimento”

Prêmio Veja-se: “estar entre os indicados já é um importante reconhecimento”

Ainda que não tenha sido escolhido como campeão na categoria Políticas Públicas do Prêmio Veja-se 2018, José Aurelio Ramalho, diretor-presidente do OBSERVATÓRIO Nacional de Segurança Viária, considera estar entre os indicados já é um importante reconhecimento que o emociona, já que consagra todo o seu trabalho realizado ao longo dos sete anos à frente dos trabalhos de prevenção de acidentes de trânsito, que visam reduzir o assustador número de mortes no Brasil.

A vencedora da categoria disputada por Ramalho foi Roni Enara que fundou, em 2005, o Observatório Social de Maringá. A entidade é formada por voluntários que fiscalizam editais e licitações suspeitos de fraude e promove cursos para capacitar pequenos empresários a participar de certames públicos.

“Aproveito para parabenizar Roni Enara pelo trabalho de grande relevância pois, a corrupção também atinge a segurança viária, que é foco do nosso trabalho, impedindo que decisões e medidas para preservar vidas sejam colocadas em práticas. Isso é muito lamentável num país que mata mais de 37 mil pessoas por ano”, reflete Ramalho.

Sobre a premiação

O Prêmio Veja-se, em sua segunda edição, investigou ao longo de 2018 a história de dezenas de brasileiros que ajudaram a mudar a sociedade. Uma primeira seleção indicou um grupo de dezoito pessoas em seis categorias: Cultura, Políticas Públicas, Saúde, Educação, Inovação e Diversidade.

Os campeões foram definidos pela escolha popular, com votação no site de Veja, por um time de três editores da revista e pela decisão de uma comissão julgadora composta de doze personalidades. Neste ano, fizeram parte desse grupo Claudia Costin, diretora do Centro de Excelência e Inovação em Políticas Educacionais (Ceipe); Maria Helena Guimarães, ex-secretária executiva do Ministério da Educação; Cristovão Tezza, escritor; Ana Claudia Arantes, geriatra; Fernando Cotait Maluf, oncologista; Facundo Guerra, empresário; Alexandra Loras, ex-consulesa; Humberto Falcão Martins, especialista em políticas públicas e gestão governamental e doutor em administração pela FGV-RJ; Sérgio Besserman, ex-presidente do IBGE e presidente do Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro; Marcelo Viana, diretor do Instituto de Matemática Pura e Aplicada (RJ); João Fernando Gomes, vice-presidente da Academia Brasileira de Ciências; e Caetano Vilela, encenador e iluminador de teatro e ópera.

Entre os seis vencedores, há dois homens e quatro mulheres. São eles: Katiana Pena (Cultura), Roni Enara (Políticas Públicas), José Carlos Gaspar (Saúde), Adalberto Marques (Educação), Juliana Maia (Inovação) e Carolina Ignarra (Diversidade).

Trabalho que consagra Ramalho

Para conhecer o trabalho de José Aurelio Ramalho, acesse: https://www.facebook.com/onsv.org.br/videos/1370210379782102/

Sem comentários

Escreva um comentário