OBSERVATÓRIO | Uma de cada três pessoas atropeladas tem mais de 60 anos
19793
post-template-default,single,single-post,postid-19793,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-10.1.1,wpb-js-composer js-comp-ver-5.0.1,vc_responsive

Uma de cada três pessoas atropeladas tem mais de 60 anos

Uma de cada três pessoas atropeladas tem mais de 60 anos

Estudo do OBSERVATÓRIO, em parceria com a UFPR, pautou Jornal Bom Dia Brasil para reportagem sobre idosos

O Jornal Bom Dia Brasil desta terça-feira (02 de outubro) fez um importante alerta: os idosos são as maiores vítimas de atropelamentos no Brasil. A reportagem do jornalista André Azeredo, com imagens de Marcelo Benincassa, utilizou dados divulgados pelo OBSERVATÓRIO Nacional de Segurança Viária, por meio da parceria mantida com a Divisão de Engenharia de Transportes e Mobilidade da Universidade Federal do Paraná (UFPR), que faz uma análise quanto ao crescimento da população a partir de sessenta anos no Brasil e qual o impacto nos acidentes de trânsito.

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), até 2060 o percentual de pessoas com mais de 65 anos passará dos atuais 9,2% para 25,5% da população.  E por se deslocarem com mais frequência a pé, os idosos estão mais expostos, e consequentemente, são as maiores vítimas fatais como pedestres, representando 36% do total de atropelamentos registrados no país.  Entre os idosos, os ciclistas representam 28% dos óbitos, seguido dos condutores de veículos (16%) e motociclistas (6%), segundo dados compilados no estudo, cuja origem dos dados são do sistema Datasus.

Foi o único grupo que cresceu nessas estatísticas. Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Piauí, Rondônia, Roraima e Tocantins são os estados brasileiros que apresentam pior desempenho na garantia de segurança nos deslocamentos da população idosa, com índices de 40 a 76 mortes por 100 mil habitantes.

“É um problema que passa, principalmente, pelo convívio seguro no trânsito. Precisamos rever nossas calçadas, nosso tempo de semáforo e preparar os motoristas que vão conviver com esses mais de 25% de idosos que nós teremos na população brasileira até 2060, segundo o IBGE”, ressaltou José Aurelio Ramalho, diretor-presidente do OBSERVATÓRIO, que concedeu entrevista para a reportagem.

Assista a reportagem completa aqui: https://globoplay.globo.com/v/7058031/programa/

2 Comentários
  • Linay Landia Cardoso da Paz
    Postado às 20:01h, 02 outubro Responder

    onde eu encontro o estudo na íntegra com toda a metodologia da coleta desses dados para a pesquisa?

  • Noe M. Silva
    Postado às 15:53h, 26 novembro Responder

    A educação de trânsito nas escolas de educação infantil, será uma ferramenta talvez única que pode suprir essa necessidade, mesmo que tardia. Essa semente deve ser plantada para que esses frutos possam ser colhidos por todos no futuro, principalmente essa população que o Brasil daqui á três décadas será maioria.

Escreva um comentário