OBSERVATÓRIO | Uma de cada três pessoas atropeladas tem mais de 60 anos
19793
post-template-default,single,single-post,postid-19793,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-10.1.1,wpb-js-composer js-comp-ver-5.0.1,vc_responsive

Uma de cada três pessoas atropeladas tem mais de 60 anos

Uma de cada três pessoas atropeladas tem mais de 60 anos

Estudo do OBSERVATÓRIO, em parceria com a UFPR, pautou Jornal Bom Dia Brasil para reportagem sobre idosos

O Jornal Bom Dia Brasil desta terça-feira (02 de outubro) fez um importante alerta: os idosos são as maiores vítimas de atropelamentos no Brasil. A reportagem do jornalista André Azeredo, com imagens de Marcelo Benincassa, utilizou dados divulgados pelo OBSERVATÓRIO Nacional de Segurança Viária, por meio da parceria mantida com a Divisão de Engenharia de Transportes e Mobilidade da Universidade Federal do Paraná (UFPR), que faz uma análise quanto ao crescimento da população a partir de sessenta anos no Brasil e qual o impacto nos acidentes de trânsito.

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), até 2060 o percentual de pessoas com mais de 65 anos passará dos atuais 9,2% para 25,5% da população.  E por se deslocarem com mais frequência a pé, os idosos estão mais expostos, e consequentemente, são as maiores vítimas fatais como pedestres, representando 36% do total de atropelamentos registrados no país.  Entre os idosos, os ciclistas representam 28% dos óbitos, seguido dos condutores de veículos (16%) e motociclistas (6%), segundo dados compilados no estudo, cuja origem dos dados são do sistema Datasus.

Foi o único grupo que cresceu nessas estatísticas. Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Piauí, Rondônia, Roraima e Tocantins são os estados brasileiros que apresentam pior desempenho na garantia de segurança nos deslocamentos da população idosa, com índices de 40 a 76 mortes por 100 mil habitantes.

“É um problema que passa, principalmente, pelo convívio seguro no trânsito. Precisamos rever nossas calçadas, nosso tempo de semáforo e preparar os motoristas que vão conviver com esses mais de 25% de idosos que nós teremos na população brasileira até 2060, segundo o IBGE”, ressaltou José Aurelio Ramalho, diretor-presidente do OBSERVATÓRIO, que concedeu entrevista para a reportagem.

Assista a reportagem completa aqui: https://globoplay.globo.com/v/7058031/programa/

Sem comentários

Escreva um comentário