fbpx
Loader
Bom Dia Brasil destaca mudança na lei da cadeirinha com participação de Observador Certificado
26968
post-template-default,single,single-post,postid-26968,single-format-standard,bridge-core-2.3.6,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-22.2,qode-theme-bridge,disabled_footer_top,qode_header_in_grid,wpb-js-composer js-comp-ver-6.2.0,vc_responsive,elementor-default,elementor-kit-28047

Bom Dia Brasil destaca mudança na lei da cadeirinha com participação de Observador Certificado

Bom Dia Brasil destaca mudança na lei da cadeirinha com participação de Observador Certificado

Novas regras leva em consideração peso e altura e idade das crianças

Com as novas regras no Código de Trânsito Brasileiro a lei para o uso das cadeirinhas ficou mais rígida aos infratores desde a última segunda-feira (12). O Observador Certificado do OBSERVATÓRIO Nacional de Segurança Viária, Maurício Pontello, foi consultado pelo jornal Bom Dia Brasil, da Rede Globo, para falar sobre o uso do dispositivo.

Com a nova regulamentação, as regras aplicam-se de acordo com o peso, idade e altura das crianças. Veja como fica:

  • O bebê conforto é indicado para crianças de até um ano de idade e no máximo 13kg;
  • A cadeirinha deve ser utilizada por crianças de um a quatro anos de idade, com pesos entre 9kg e 18kg;
  • O assento de elevação é para as crianças de quatro a sete anos e meio, com menos de um metro e quarenta e cinco centímetros e, ter de 15kg a 36kg;
  • Crianças com idades entre sete anos e meio e dez anos, com menos de um metro e quarenta e cinco centímetros podem viajar no banco de trás, utilizando apenas o cinto de segurança;
  • Crianças que possuem mais de um metro e quarenta e cinco centímetros, em qualquer idade, podem ser levadas no banco da frente do automóvel.

“Os dispositivos de retenção da criança são exatamente para aumentar a segurança dela e expô-la menos ao risco de perder a vida em um acidente de trânsito. Porque não são elas que fazem a opção, é sempre o adulto quem faz a opção. A criança está sob os nossos cuidados, é sempre bom a gente lembrar desse detalhe”, argumentou Maurício.

Assista à reportagem completa: https://globoplay.globo.com/v/9428616/

No Comments

Post A Comment