fbpx
Loader
COMPORTAMENTO SEGURO COMO PEDESTRES!
28877
post-template-default,single,single-post,postid-28877,single-format-standard,bridge-core-2.3.6,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-22.2,qode-theme-bridge,disabled_footer_top,qode_header_in_grid,wpb-js-composer js-comp-ver-6.2.0,vc_responsive,elementor-default,elementor-kit-28047

COMPORTAMENTO SEGURO COMO PEDESTRES!

COMPORTAMENTO SEGURO COMO PEDESTRES!

*Stefania Alvise

Desde a hora em que colocamos o pé para fora de casa exercemos vários papéis no trânsito e o mais comum é o de pedestre. Em algum momento precisamos ir a uma loja, igreja, padaria ou outro estabelecimento e, ou vamos a pé, de cadeira de rodas, muletas, andador, carro, ônibus, moto, bicicleta, patinete, skate, enfim, o importante é que todos, quando precisamos andar, somos PEDESTRES no trânsito!

Cabe a nós cuidarmos de nossa segurança, fazendo a travessia nas faixas de pedestre, aguardando na calçada e não em cima da faixa, observar o semáforo para pedestres e ter percepção de risco para não atravessar na frente dos veículos, podendo ser vítima de atropelamento ou forçar o motorista a fazer uma freada brusca ocasionando batidas, muitas vezes envolvendo mais de um veículo, com essa atitude irresponsável.

Quando a via não tiver semáforo, ir até o meio do quarteirão e atravessar em linha reta, evitar correr para não acontecer nenhum imprevisto. Esperar que os veículos parem para atravessar em segurança. Em faixa elevada, levantar a mão para sinalizar que irá atravessar, “VEJA E SEJA VISTO!” Evitar atravessar entre os veículos, pois é uma atitude perigosa, por conta de alguma moto ou outro veículo que possa circular no corredor de forma imprudente.

Segundo o CTB (Código de Trânsito Brasileiro), crianças com menos de 10 anos devem estar acompanhadas de um adulto durante o percurso vias. Uma dica importante para proteger os pequenos é, ao caminhar na calçada, o adulto deve manter a criança do lado de dentro, e ao atravessar a rua, segurá-la pelo punho para sua maior segurança, pois são os mais frágeis.

Nas vias urbanas onde não houver calçada ou faixa privativa destinada ao pedestre, caminhar sempre à esquerda da rua em fila única em sentido contrário ao dos veículos, para melhorar a visualização. Não caminhar ou atravessar nas rodovias, colocando sua vida em risco. Procure lugares de boa visibilidade, claros, seguros e sempre usando a premissa “VEJA E SEJA VISTO”, que já foi tema de várias campanhas de educação para o trânsito.

Ao descer do ônibus ou van, aguardar na calçada, nunca atravesse na frente ou atrás do veículo para evitar atropelamentos. Cuidado ao ficar parado em vagas para carros e nunca atravesse atrás de um veículo quando o mesmo estiver fazendo manobras, como por exemplo baliza.

Antigamente as crianças brincavam nas ruas, com o aumento da demanda de veículos, o fluxo também aumentou e em muitas cidades, as vias continuaram as mesmas, dessa forma, é mais seguro que crianças devem brincar em casa ou nas áreas para lazer, pois na última década quintuplicou a quantidade de veículos na cidade, impossibilitando que crianças continuem brincando na calçada.

Os artigos 69 e 70 do CTB, decorrem sobre os pedestres. Vale a pena ficar por dentro das regras de trânsito mesmo que você não tenha meio de transporte motorizado ou mesmo bicicleta. Todos fazemos parte do trânsito e estamos vulneráveis a sinistros e atropelamentos. Se o outro não respeitar ou agir com imprudência, imperícia ou negligência, mesmo fazendo o que é certo, podemos ser vítimas e tornarmos mais um número nas estatísticas. Segundo dados, 39% das mortes no trânsito são com pedestres, e mais de 60% dos leitos de hospitais estão ocupados por vítimas do trânsito no Brasil.

Dados do OBSERVATÓRIO Nacional de Segurança Viária apontam que do total de crianças mortas em 2016 em sinistros de trânsito, 35% das vítimas fatais constituíam-se de usuários não motorizados, ou seja, pedestres. A mudança de comportamento e gentileza no trânsito reduzirão os altos índices de mortes, vítimas sequeladas permanentes no trânsito de forma vivaz, deixando de onerar os cofres públicos, desafogando a saúde, melhorando a infraestrutura, economia e educação.

Desacelere o veículo, quando estiver como condutor e seja prudente quando estiver como pedestre, você é o mais frágil! No CTB no parágrafo 2 do artigo 29, o maior protege o menor, mas isso não é o que estamos vendo ultimamente. Evite fazer a travessia em local proibido, sem iluminação, sinalização adequada ou segurança.

Respeito e responsabilidade, pratique no trânsito!

Stefania

Nome: Stefania Alvise

Cidade: Poços de Caldas

Estado: Minas Gerais

Observadora Certificada desde 2019

Mini Bio: Pedagoga, Educadora de Trânsito especialista em Educação e Ação Social com ênfase em Sustentabilidade e gestão e normatização de trânsito e transportes.

Perfil LinkedIn: Stefania Alvise

Instagram:@stefaniaalvise

No Comments

Post A Comment