Artigos

Brasil precisa priorizar a redução dos acidentes com motos e punir as infrações de trânsito com severidade, diz diretor de Operações da Arval Brasil

Escrito por Portal ONSV

17 JAN 2019 - 08H00

Empresa

faz parte do Programa Laço Amarelo e está engajada em preservar vidas

Priorizar a redução

dos acidentes com motos e punir de maneira mais severa as infrações de trânsito

são algumas das medidas apontadas por Rodrigo Amaral, diretor de Operações da

Arval Brasil, para ampliar a segurança viária no país, que concedeu entrevista

ao portal www.segs.com.br.

Presente no Brasil há 10 anos, a Arval é uma Empresa Laço Amarelo,

programa do OBSERVATÓRIO Nacional de Segurança Viária que demonstra a

preocupação da empresa com um trânsito seguro, além de incentivar cada um de

seus condutores e colaboradores a adotarem um comportamento mais prudente e

responsável, tendo como premissa a preservação de vidas. A Arval faz parte do grupo BNP Paribas,

especializada em terceirização de frotas.

Para Amaral, embora

o Brasil tenha avançado no sentido de reduzir o número de mortes decorrentes de

acidentes, as estatísticas ainda são alarmantes. “É preciso insistir nas

mensagens que explicitam a tragédia do trânsito, assim como é feito com relação

ao tabaco, que estampa uma mensagem ruim em cada maço de cigarro. Se eu tivesse

que apostar em um item para tornar o trânsito mais seguro ele seria tornar os

usuários mais seguros, mais ainda do que os veículos e as vias de rodagem”,

defende.

Confira a entrevista:

Como o senhor

avalia o engajamento do Brasil no âmbito da Década de Ação pela Segurança no

Trânsito, lançada pela ONU?

O engajamento

brasileiro é tímido, mas ao mesmo tempo não é um fracasso total. Lentamente,

vamos reduzindo as estatísticas de acidentes com vítimas que, no entanto, ainda

são alarmantes. É nítido que há uma melhora no país, muito mais relacionada ao

novo código de trânsito que instituiu o sistema indiscriminado de multas, que

apesar de ter se convertido em uma indústria arrecadatória, inegavelmente

resultou numa melhora do comportamento dos condutores. Outro item que trouxe um

efeito positivo foi a obrigatoriedade recente de airbag e freio ABS em

automóveis, o que pouco a pouco está substituindo uma frota velha sem os

recursos, por outra mais moderna e mais segura. Na ocasião, o governo tentou

suprimir a exigência nos últimos momentos, mas felizmente venceu o critério de

segurança. O que, no entanto, infelizmente ainda contribui muito para as

estatísticas são os acidentes com motos, em que não houve muito progresso.

Na sua opinião, o

que é preciso fazer para tornar o trânsito mais seguro e reduzir as mortes por

acidentes no Brasil?

Na atual situação,

colocaria foco nas motos, tornando obrigatório o freio ABS, assim como é nos

automóveis. Outra mudança que, na minha opinião, também está faltando, é uma

punição mais severa de infratores. Em alguns casos não basta multa: temos que

ser mais severos com certos comportamentos que colocam em risco a vida de

outras pessoas, punindo-os até com encarceramento em alguns casos e suspensão

longa ou definitiva de habilitação em outros, quando o infrator é

recalcitrante. É preciso também insistir nas mensagens que explicitam a

tragédia do trânsito, assim como é feito com relação ao tabaco, que estampa uma

mensagem ruim em cada maço de cigarro. Se eu tivesse que apostar em um item

para tornar o trânsito mais seguro ele seria tornar os usuários mais seguros,

mais ainda do que os veículos e as vias de rodagem. Considero que o fator

cultural ainda é o preponderante. Não se trata de uma conclusão científica, mas

sim de minha observação pessoal.

Que iniciativas em

prol de um trânsito mais humano e seguro vêm sendo tomadas pela Arval no país?

A Arval é

diretamente interessada no tema e tentamos promovê-lo com todas as ferramentas

que estão às nossas mãos: cursos de direção defensiva; promoção de modelos de

veículos melhor posicionados nos rankings de segurança; apoio e divulgação do

“Maio Amarelo”, que visa à conscientização sobre o assunto, constantes

publicações voltadas à comunidade que nos acompanha nas redes sociais.

Programa_Educa_apresenta_novidades_em_2024_e_acoes_para_Maio_Amarelo_durante_reuniao_nacional
Matérias

Programa Educa apresenta novidades em 2024 e ações para o Maio Amarelo durante reunião nacional

Foi realizada na última quinta-feira (11), a reunião do programa Educa com 18 municípios integrantes do programa de Educação para o Trânsito nas escolas. Durante a abertura, o CEO do OBSERVATÓRIO Nacional de Segurança Viária, Paulo Guimarães, comentou sobre o encerramento do projeto-piloto Educa e o início de uma nova fase, com a transição digital do programa e a disponibilização dos conteúdos aos municípios.

Atraso_licitacao_transporte_publico_recife_pe
Observadores Certificados

Atraso na licitação do transporte público do Recife/PE gera transtorno aos usuários

A Rádio Jornal Pernambuco informou que os usuários do transporte público da região metropolitana do Recife, em Pernambuco, terão que esperar mais para que a licitação das linhas de ônibus seja concluída. A previsão do governo pernambucano é que esse processo seja finalizado somente em 2026. Na última sexta-feira (12), o mestre em Inovação e Desenvolvimento para o Trânsito e Observador Certificado, Emanoel Silva, falou à Rádio Jornal sobre a importância dessa licitação e o impacto da qualidade do transporte público na vida das pessoas.

Carta_aberta_pela_participacao_democratica_nas_politicas_de_mobilidade_do_distrito_federal
Observadores Certificados

Carta aberta pela participação democrática nas Políticas de Mobilidade no Distrito Federal

Integrantes da Rede Urbanidade participaram, na última terça-feira (09), da cerimônia de lançamento dos trabalhos de revisão do PDTU (Plano Diretor de Transporte Urbano) do Distrito Federal. Durante o evento, distribuíram a carta aberta enviada ao governador Ibaneis Rocha, assinada por dez entidades, com sugestões para a participação democrática nas políticas de mobilidade do DF. A cerimônia foi realizada no Salão Nobre do Palácio do Buriti.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0
Saiba mais

Boleto

Reportar erro!

Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou de uma informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Portal ONSV, em Artigos

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.