Matérias

Cidades brasileiras com IDH alto têm mais violência no trânsito

Escrito por Portal ONSV

26 JAN 2015 - 16H16

"Cidades

As cidades com o maior Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do Brasil, Brasília (0,824) e Curitiba (0,823), possuem um das taxas mais altas de violência no trânsito entre os 10 municípios mais populosos do País. A situação é oposta a tendência mundial, onde os países mais desenvolvidos e ricos têm menos acidentes e mortes de trânsito. Os dados exclusivos obtidos pelo Estado foram divulgados pelo Observatório Nacional de Segurança Viária, que credita o problema à falta de investimento em educação no trânsito.

A capital federal, que possui o maior Produto Interno Bruto (PIB) per capita do Brasil (R$ 63 milhões), registrou 20,9 mortes a cada 100 mil habitantes em 2012. Curitiba, por sua vez, teve 20 mortes. Ambas estão abaixo da média nacional, de 23,6 óbitos, mas por estarem no topo da lista de desenvolvimento humano do País deveriam, em tese, ter número mais reduzidos de violência no trânsito. Chile e Argentina, por exemplo, tem taxas menores – 12,3 e 12,6, respectivamente. O problema brasileiro, segundo especialistas, é uma questão cultural.

“Países em desenvolvimento como o Brasil não seguem a mesma lógica mundial. Com um crescimento econômico mais acelerado há uma tendência de um número elevado de acidentes, como em Brasília e Curitiba, mesmo com bons índices sociais”, explicou Paulo Guimarães, diretor técnico do Observatório. De acordo com o diretor, no caso do Brasil cidades desenvolvidas não são sinônimo de segurança no trânsito. “Para além do desenvolvimento há um problema de educação no trânsito, que precisa de tempo para apresentar resultados que reduzam o número de mortes”, afirmou.

Segundo a pesquisa, há capitais, no entanto, que já apresentam uma evolução neste problema. Porto Alegre (11,7) e São Paulo (11,8) têm a menor taxa de mortes entre as 10 principais capitais brasileiras e possuem IDHs considerados elevados: 0,805. “São duas capitais que investem pesado na questão de segurança do trânsito há anos e, por isso, têm índices que se assemelham a média mundial”, explicou Guimarães.

A pesquisa feita pelo observatório também revela um crescimento do número de mortes em decorrência de acidentes no Brasil. De 2001 a 2012 as ocorrências aumentaram quase 50%, somando 453.779 vítimas. Em 2012, foram 45,7 mil mortes, o que representa um óbito a cada 12 minutos.

A região que lidera o ranking de óbitos, em números absolutos, é a Sudeste, com 16,1 mil vítimas. Já na comparação a cada 100 mil habitantes, o cenário é diferente: o Centro-Oeste registra a maior taxa, com 31,8 óbitos, seguido pelo Sul (27,6), Nordeste (25,1), Norte (23,3) e Sudeste (19,8).

Os motociclistas são responsáveis por mais de um terço (36,2%) dos óbitos no Brasil e e 55% dos feridos em acidentes de trânsito. O número absoluto de feridos em acidentes viários no Brasil, entre 2001 e 2012, aumentou em ritmo muito mais acelerado que o de mortos. Foram 116.065 feridos em 2001 e 177.487 em 2012, um aumento de 52,2%. No período todo, perto de 1,6 milhão de pessoas precisaram ser internadas por mais de 24 horas após colisões ou atropelamentos.

Fonte: Estadão

Cerca_de_62_pessoas_envilvidas_em_sinistros_de_transito_no_rio_de_janeiro_em_2023
Observadores Certificados

Cerca de 62 pessoas envolvidas em sinistros de trânsito por dia no Rio de Janeiro em 2023

O telejornal Bom Dia Alerj da TV Alerj (Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro), de hoje (21), apresentou uma reportagem sobre violência no trânsito nos grandes centros urbanos e destacou uma pesquisa que classifica o estado do Rio de Janeiro entre os três com os motoristas mais rudes do Brasil. O especialista em Gestão e Direito de Trânsito e Observador Certificado, Maicon de Paula, foi consultado e defendeu a Educação para o Trânsito como instrumento para diminuir a violência no trânsito.

Regiao_do_grande_abc_registra_mes_de_maio_mais_letal_desde_2015
Observadores Certificados

Região do Grande ABC registra o mês de maio mais letal no trânsito desde 2015

A edição de ontem (20), do Diário do Grande ABC, em São Paulo, destacou que apesar do mês de maio ser marcado como uma época de conscientização para a segurança no trânsito, a Região do Grande ABC registrou o mais letal no trânsito desde 2015. O Observador Certificado Regis Frigeri foi consultado pela reportagem para falar sobre a eficácia das campanhas anuais de conscientização promovidas pelo Maio Amarelo diante do aumento de sinistros de trânsito.

Faixa_azul_deve_chegar_a_200km_na_cidade_de_sao_paulo_ate_o_final_do_ano
Matérias

Faixa Azul deve chegar a 200 km na cidade de São Paulo até o final do ano

A Faixa Azul é um projeto da prefeitura de São Paulo que cria uma pista exclusiva para motos em avenidas movimentadas da cidade. Iniciada em 2022, teve rápida expansão para se tornar uma bandeira eleitoral e deve chegar a 200 quilômetros no fim do ano. O head de Mobilidade Segura do OBSERVATÓRIO Nacional de Segurança Viária, Pedro Borges, foi um dos especialistas que falou ao Globo na última quarta-feira (19), sobre os resultados apresentados.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro!

Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou de uma informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Portal ONSV, em Matérias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.