Loader
MANHÃ BANDEIRANTES, DA RÁDIO BANDEIRANTES, FALA SOBRE LEI SECA COM PRESIDENTE DO OBSERVATÓRIO
29628
post-template-default,single,single-post,postid-29628,single-format-standard,bridge-core-2.3.6,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-22.2,qode-theme-bridge,disabled_footer_top,qode_header_in_grid,wpb-js-composer js-comp-ver-6.9.0,vc_responsive,elementor-default,elementor-kit-28047

MANHÃ BANDEIRANTES, DA RÁDIO BANDEIRANTES, FALA SOBRE LEI SECA COM PRESIDENTE DO OBSERVATÓRIO

MANHÃ BANDEIRANTES, DA RÁDIO BANDEIRANTES, FALA SOBRE LEI SECA COM PRESIDENTE DO OBSERVATÓRIO

Durante entrevista com Datena, diretor-presidente do OBSERVATÓRIO destacou importância da Lei Seca para o trânsito brasileiro

O programa Manhã Bandeirantes, da Rádio Bandeirantes, apresentado por José Luiz Datena e Agostinho Teixeira, apontou hoje (20), durante a programação, a decisão do STF (Supremo Tribunal Federal) de manter a Lei Seca e a multa para quem se recusar a fazer o teste do bafômetro. Datena entrevistou o diretor-presidente do OBSERVATÓRIO Nacional de Segurança Viária, José Aurelio Ramalho, que explicou a atual decisão sobre a Lei.

“Essa lei já existe há mais de uma década e vem surtindo um bom efeito no Brasil, a gente vem tirando muitos motoristas da via e, principalmente, há uma conscientização em grande parte da sociedade de não mais dirigir quando ingere bebida alcoólica, que é o óbvio”, ressaltou o diretor-presidente do OBSERVATÓRIO.

O STF formou maioria para manter o texto da Lei Seca sem mudança. A corte analisou na última quarta-feira (18), três ações que questionavam a constitucionalidade do texto por supostamente desrespeitar o direito de não produzir prova contra si mesmo. “Tentaram voltar com aquela história de que nós não podemos gerar prova contra nós mesmos”, frisou Ramalho.

O diretor-presidente do OBSERVATÓRIO explicou a premissa da Lei Seca durante a entrevista: “Quando você sopra o bafômetro e não tem álcool, você segue a sua vida. Se você sopra o bafômetro e está embriagado, você recebe duas penas: uma administrativa, você vai receber uma multa, vai perder o direito de dirigir por um ano e vai ter o teu carro apreendido; e tem uma pena de crime de trânsito. Agora, se você se nega a soprar e não tem sinais de embriaguez, vai receber uma pena administrativa. Se mostra sinais de embriaguez, mesmo assim, sem soprar o bafômetro, o policial pode te enquadrar em crime de trânsito. Então tem essa grande diferença, muitas vezes a pessoa não quer soprar para fugir, principalmente da pena do crime, que é mais pesada para o cidadão.”

Ramalho também frisou o alto número de mortes e lesões no trânsito brasileiro e destacou a importância da Educação para o Trânsito para a formação do cidadão e construção de um trânsito mais seguro para toda a sociedade. Ressaltou também as ações desenvolvidas pelo Movimento Maio Amarelo, durante o mês de maio, para conscientizar as pessoas para a causa da segurança no trânsito.

Assista à entrevista completa:

No Comments

Post A Comment