fbpx
Loader
Sistema CNT fala com exclusividade ao OBSERVATÓRIO sobre a importância de adesão às causas sociais e segurança viária
27738
post-template-default,single,single-post,postid-27738,single-format-standard,bridge-core-2.3.6,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-22.2,qode-theme-bridge,disabled_footer_top,qode_header_in_grid,wpb-js-composer js-comp-ver-6.2.0,vc_responsive

Sistema CNT fala com exclusividade ao OBSERVATÓRIO sobre a importância de adesão às causas sociais e segurança viária

Sistema CNT fala com exclusividade ao OBSERVATÓRIO sobre a importância de adesão às causas sociais e segurança viária

O OBSERVATÓRIO Nacional de Segurança Viária realizou este ano a oitava edição do Movimento Maio Amarelo, que teve como mote “Respeito e Responsabilidade. Pratique no trânsito”. Como apoiador central da campanha, o Movimento contou com a parceria do SEST SENAT (Serviço Social do Transporte e Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte), ligado ao Sistema CNT (Confederação Nacional do Transporte).

Após o período de desenvolvimento e execução das ações do Maio Amarelo, o OBSERVATÓRIO conversou com a instituição para conhecer um pouco mais sobre o envolvimento da instituição com as causas sociais e ações de segurança viária desenvolvidas por intermédio de seus colaboradores e clientes com o intuito de engajamento e conscientização da sociedade.

Além da parceria firmada com o OBSERVATÓRIO e com o Movimento Maio Amarelo, quais ações o Sest/Senat desenvolve entre os seus colaboradores e clientes em causas sociais voltadas à segurança no trânsito?

A segurança no trânsito sempre pautou a atuação do Sistema CNT. Nos cursos do SEST SENAT, treinamos os motoristas para que tenham previsibilidade nas situações adversas que encontrarão nas vias do país. Também buscamos cuidar da saúde desses profissionais, pois temos a consciência de que segurança no trânsito depende, entre outros elementos, de motoristas saudáveis e bem treinados. Por isso, oferecemos atendimentos de fisioterapia, com foco na prevenção dos problemas da coluna; atendimentos de nutrição para combater obesidade, hipertensão e outros problemas que podem acarretar mal súbito nos motoristas; atendimentos de psicologia para combater o uso de álcool e drogas que muitas vezes está associado a quadros de estresse e depressão devido a pressão que os motoristas vivem no trânsito. Desenvolvemos ainda estudos técnicos e, a partir deles, a CNT atua junto ao Poder Público para que se aprimorem a infraestrutura rodoviária e o ambiente regulatório, para promover mais segurança no trânsito brasileiro.

Como o Sest/Senat observa o engajamento de empresas em causas sociais para a construção de uma sociedade mais consciente de suas obrigações e como a própria sociedade poderia contribuir?

Essa tem que ser uma causa coletiva e precisa do engajamento de todos os segmentos da sociedade. Somente com respeito e responsabilidade, poderemos construir um caminho mais seguro, com mais consciência, de modo a reduzir os milhares de sinistros de trânsito que o Brasil registra anualmente. Precisamos ser cada vez mais responsáveis com a nossa vida e também com as demais que, por algum motivo, cruzam nosso caminho. E essa batalha não começa nem se encerra em maio. O mês é apenas uma referência para a revitalização do discurso e das práticas em favor de uma cultura de respeito à vida. Que a mensagem do Maio Amarelo seja estendida por todo ano de 2021.

Relacionado à segurança viária, o OBSERVATÓRIO desenvolve estudos, pesquisas e ações voltadas para garantir melhores condições e segurança em vias, ruas, estradas e rodovias. Qual é o impacto dessas ações para o País, do ponto de vista do Sest/Senat?

Iniciativas como essas contribuem para enraizar, na pauta do cotidiano dos Poderes Públicos e das cidades, a segurança viária como tema de importância maior. Também auxiliam para mobilizar todos os segmentos da sociedade em torno de um objetivo comum: salvar vidas. Afinal, a violência no trânsito assumiu características de uma epidemia e se tornou um dos principiais problemas de saúde pública, com implicações socioeconômicas em todo o mundo.

Crédito: Sest Senat Divulgação

No Comments

Post A Comment