Loader
VELOCIDADE UMA DOSE DE EMOÇÃO OU UM VENENO FATAL
30369
post-template-default,single,single-post,postid-30369,single-format-standard,bridge-core-2.3.6,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-22.2,qode-theme-bridge,disabled_footer_top,qode_header_in_grid,wpb-js-composer js-comp-ver-6.9.0,vc_responsive,elementor-default,elementor-kit-28047

VELOCIDADE UMA DOSE DE EMOÇÃO OU UM VENENO FATAL

VELOCIDADE UMA DOSE DE EMOÇÃO OU UM VENENO FATAL

Assim como nos medicamentos, a diferença é a dose

*Thyrso Guilarducci

 

1 – INTROUÇÃO

Os mais diversos indicadores das causas dos sinistros de trânsito invariavelmente apontam o fator da velocidade como preponderante e posicionado em primeiro lugar no ranking das causas motivando as fatalidades e feridos graves.

É fundamental que a Administração Pública e a sociedade adotem medidas eficazes de imediato visando a redução das velocidades através da intensificação da fiscalização e dos mecanismos arquitetônicos na mobilidade urbana previstos no PNATRANS.

 

2 – ABORDAGEM ESPECÍFICA

O PNATRANS no seu Anexo 1 Página 5 demonstra no item 6 das METAS GLOBAIS DE DESEMPENHO PARA A SEGURANÇA NO TRÂNSITO a redução em 50% da proporção de veículos trafegando acima do limite de velocidade e reduzir as lesões e mortes relacionadas à velocidade.

Essa meta é aderente aos Pilares:

2 – Vias Seguras;

4 – Educação para o Trânsito;

6 – Normatização e Fiscalização;

3 – METODOLOGIA

Ainda na estrutura do PNATRANS a Ação A2004 que contempla o Produto P2007 mencionados na página 37 determina para o ano de 2023:

A Regulamentação de novos elementos redutores de velocidade, como platôs em cruzamentos, chicanas, almofadas, larguras máximas de faixas de rolamento, entre outros elementos críticos para a implementação de infraestrutura viária compatível com sistemas seguros.

 

4 – OS OBJETIVOS EXIGEM MAIOR CELERIDADE

Observando-se que apenas em 2023 está prevista a regulamentação mencionada no item 3 acima, esse prazo é muito dilatado diante das graves constatações que se presencia diariamente no país. Nessa mesma linha, em resumo temos ainda nas páginas sucessivas uma visão mais abrangente:

Ação 2005 – Regulamentar e orientar a implantação de projetos de gestão de velocidades em áreas urbanas

Produto 2011 – Elaboração de manual de gestão de velocidades em áreas urbanas, em linha com a abordagem de Sistema Seguro e com a Declaração de Estocolmo para o ano de 2023

Produto 2012 – Capacitações em gestão de velocidades para gestores públicos e técnicos de mobilidade de diferentes esferas. Anualmente a partir de 2024.

Produto 2013 – Revisão dos limites de velocidade permitidos pela lei federal e adequação aos recomendados pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Anualmente a partir de 2025.

Produto 2014 – Regulamentação da Fiscalização de Velocidade Média no ano de 2025.

Produto 2015 – Publicação de lei dispondo sobre velocidade de circulação de motociclistas nos corredores, considerando um limite menor ou igual ao limite da via em 2025.

Produto 2016 – Elaboração e execução de programa de fiscalização de velocidade de circulação de motocicletas nos corredores em 2025 10% / 2026 30% / 2027 50%, 2028 70% / 2029 90% / 2030 100%.

 

5 – CONSIDERAÇÕES TEMPORAIS

A recomendação é de que todos esses prazos sejam revistos através de uma força de trabalho que supere as barreiras burocráticas e paradigmas do arcabouço jurídico e formal ainda que sejam necessárias Medidas Provisórias do Poder Executivo.

O Brasil pode sair-se mais vitorioso nas metas da ONU se efetivamente atuar como fazem os gestores na iniciativa privada modernamente com o Kaizen, saindo dos gabinetes e indo ao chão de fábrica, no caso nossas entidades governamentais nas três esferas de governo e apoiado pelos Três Poderes.

 

6 – CONCLUSÃO

O mote JUNTO SALVAMOS VIDAS de fato fará sentido. Vidas preservadas hoje não serão óbitos amanhã!

Thyrso Guilarducci

  • Observador Certificado;
  • Graduado como Técnico em Segurança no Trânsito – UNISUL;
  • Instrutor de Trânsito credenciado DETRAN SP todas as categorias;
  • Consultor e Auditor de Sistemas da Qualidade;
  • Curso de Motorista Profissional NSC/Chicago – USA;
  • Curso de Direção Defensiva NSC/Chicago – USA
  • Curso especialização em transporte de agregados/Edmonton/Alberta – Canada;
  • Gestão de saúde e riscos associados Covid 19 na Aviação Comercial – Embry Riddle – Daytona Beach – Florida/USA;
  • Gestor de Transporte e Logística desde 1983;
  • Gestor de Transportes na Construção Civil de 1974 a 1983.

 

3 Comments
  • José Luiz Britto Bastos
    Posted at 10:55h, 12 setembro Responder

    Muito bom e oportuno o seu artigo. Na semana que vem, Semana Nacional do Trânsito, farei uma palestra em um seminário que promovemos anualmente durante SNT. Permita-me mencionar o teor do seu artigo. Grato. Parabéns!
    José Luiz Britto Bastos Observador Certificado ONSV – Juiz de Fora- MG

  • Thyrso Guilarducci
    Posted at 11:18h, 12 setembro Responder

    O Artigo é totalmente livre para divulgação em qualquer mídia e tempo.
    Obrigado

  • Genianeme
    Posted at 06:06h, 13 setembro Responder

Post A Comment