OBSERVATÓRIO | Matéria publicada na Folha de S. Paulo no dia 02.01.2014
2030
post-template-default,single,single-post,postid-2030,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-10.1.1,wpb-js-composer js-comp-ver-5.0.1,vc_responsive

Matéria publicada na Folha de S. Paulo no dia 02.01.2014

Matéria publicada na Folha de S. Paulo no dia 02.01.2014


Matéria publicada na Folha de S. Paulo no dia 02.01.2014

Apesar do avanço representado pela nova lei seca, maior responsável pela queda nas mortes no trânsito, o Observatório Nacional de Segurança Viária alerta que o número de acidentes ainda é muito alto.

“Não adianta comemorar, a situação ainda é gravíssima. Se por um lado as mortes estão caindo, por outro percebemos um aumento da gravidade das lesões e do número de feridos que ficam com sequelas permanentes”, afirma José Aurélio Ramalho, presidente da entidade.

Ele diz que o aumento é verificado pelas indenizações do Dpvat (seguro obrigatório) em todo o país. Até setembro, houve aumento de 36% nos pagamentos por invalidez permanente em relação ao ano anterior.

“Isso gera um custo social enorme, afeta a previdência, a força de trabalho. A maioria das vítimas tem de 25 a 34 anos”, afirma.

Para Ramalho, para reduzir a violência no trânsito é necessário ir além da lei seca. Ele cita a melhoria do curso de formação dos condutores e a fiscalização do uso do celular. “Dirigir teclando no smartphone é tão perigoso quanto dirigir embriagado”, diz.

Para ver a matéria em maior resolução, clique aqui.

observatório folha de sp

Sem comentários

Escreva um comentário