Loader
Mortes no trânsito na região de Campinas diminuem 4% no último ano e OBSERVATÓRIO Nacional de Segurança Viária alerta sobre os dados
23780
post-template-default,single,single-post,postid-23780,single-format-standard,bridge-core-2.3.6,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-22.2,qode-theme-bridge,disabled_footer_top,disabled_footer_bottom,qode_header_in_grid,wpb-js-composer js-comp-ver-6.2.0,vc_responsive

Mortes no trânsito na região de Campinas diminuem 4% no último ano e OBSERVATÓRIO Nacional de Segurança Viária alerta sobre os dados

Mortes no trânsito na região de Campinas diminuem 4% no último ano e OBSERVATÓRIO Nacional de Segurança Viária alerta sobre os dados

Reportagem do Jornal Band Cidade 2ª Edição de Campinas (SP), comenta os dados do Infosiga SP, referentes à queda no número de mortes no trânsito na região de Campinas. A reportagem ouviu o OBSERVATÓRIO Nacional de Segurança Viária, que alertou para a necessidade de investimento em políticas públicas e conscientização de motoristas e pedestres.

Conforme dados estatísticos do Infosiga SP, a região de Campinas registrou queda de 4% no número de mortes no trânsito. Em 2019, foram registradas 927 mortes, em comparação com 2018, esse número chegou a 963. Apesar da queda nas estatísticas, o diretor-presidente do OBSERVATÓRIO Nacional de Segurança Viária, José Aurelio Ramalho, avalia o impacto causado por esses acidentes.

Ramalho alerta: “Para 900 óbitos que nós tivemos durante o ano na Região Metropolitana de Campinas, tivemos aproximadamente 9 mil sequelas permanentes, ou seja, pessoas que perderam uma parte do corpo que vão ficar afastadas do trabalho, que vão gerar um custo social muito grande”, diz.

Para o diretor-presidente do OBSERVATÓRIO: “Cem por cento dos acidentes são ligados à atitude. Eu tenho conhecimento das leis de trânsito, eu tenho habilidade para dirigir, mas a minha atitude como motorista é irresponsável. Eu falo ao celular, eu bebo e dirijo, eu uso o celular, eu não paro em uma faixa de pedestre, então essa atitude é que precisa ser transformada”, conclui.

Assista à reportagem completa:

Imagem: Band Mais/Band Cidade

No Comments

Post A Comment