Loader
OBSERVATÓRIO apresenta Projeto Recomeço no Hospital Municipal José de Carvalho Florence, em São José dos Campos
23621
post-template-default,single,single-post,postid-23621,single-format-standard,bridge-core-2.3.6,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-22.2,qode-theme-bridge,disabled_footer_top,disabled_footer_bottom,qode_header_in_grid,wpb-js-composer js-comp-ver-6.2.0,vc_responsive

OBSERVATÓRIO apresenta Projeto Recomeço no Hospital Municipal José de Carvalho Florence, em São José dos Campos

OBSERVATÓRIO apresenta Projeto Recomeço no Hospital Municipal José de Carvalho Florence, em São José dos Campos

O OBSERVATÓRIO Nacional de Segurança Viária, representado pelo seu diretor-presidente, José Aurelio Ramalho, esteve presente, no dia 16 de dezembro, no Hospital Municipal José de Carvalho Florence (HMJCF), em São José dos Campos (SP), acompanhado de representantes da Sociedade Brasileira de Atendimento Integrado ao Traumatizado (SBAIT), para apresentar o Projeto Recomeço.

Entre os temas abordados no encontro, o Projeto Recomeço, um projeto do OBSERVATÓRIO em parceria com a SBAIT, que trata sobre reinserir traumatizados com sequelas na sociedade e que deve ser implantado no município de São José dos Campos como piloto.

Com a finalidade de potencializar a indenização às vítimas de acidentes, oferecendo além de recursos financeiros, a atenção, o acolhimento e a assistência às vítimas e seus familiares, devido à falta de informações e suporte nesses casos.  De posse da identificação das vítimas indenizadas pelo seguro DPVAT (endereço, qualificação, tipo de sequela, etc) as mesmas são georreferenciadas e convidadas/direcionadas às entidades de reabilitação física, profissional, esportiva para, na sequência, serem ofertadas através de georreferenciamento para empresas interessadas na contratação de profissionais PCD (pessoa com deficiência).  Veja como funciona:

Participaram do encontro, José Aurélio Ramalho, diretor-presidente do Observatório Nacional de Segurança Viária – ONSV, Dr. José Mauro S. Rodrigues, ex-presidente e membro honorário da SBAIT, enfermeira Nelsina Benedita do Carmo, Dr. Gustavo P Fraga, coordenador do Comitê de Educação SBAIT, Dr. Marco Antonio da Silva, diretor Clínico do HMJCF e Dr. Danilo Stanzani Jr., coordenador do comitê de prevenção SBAIT.

132 Comments
  • Juan Ramón Soto Franco
    Posted at 15:18h, 04 fevereiro Responder

    Parabéns pela iniciativa. Importante projeto que contribuirá certamente para diminuir a sensação de abandono que possa experimentar um sequelado pela falta de iniciativas similares por parte do poder público.

  • Claudio kalleder
    Posted at 18:17h, 10 fevereiro Responder

    O RECOMEÇO é um trabalho de grande importância para os sequelados em acidentes e suas famílias, na medida em que promove a reinserção destes na sociedade e no mercado de trabalho. Pois sabe-se que o drama de um acidente não envolve diretamente apenas a vítima, mas toda a família, principalmente os dependentes financeiros são vítimas.

    O RECOMEÇO também lança sobre os empresários e empresas uma visão de que o sequelado pode ser produtivo e pode contribuir com o desenvolvimento da empresa. Identificar capacidades e valorizar o indivíduo que, por uma condição alheia à sua vontade, quase sempre é posto á margem da sociedade, por ser considerada incapaz ou até mesmo pelo preconceito.

    Excelente iniciativa, que deve ser levada adiante com seriedade. Tive oportunidade de acompanhar acidentados em tratamento na AACD e na Rede Lucy Montoro, onde pude constatar a triste realidade e o sofrimento dos acidentados e familiares. Podemos mudar essa realidade, trazendo compreensão, conforto e oportunidade para todos.

    • Sandro Alves Xavier
      Posted at 14:32h, 12 agosto Responder

      Essa iniciativa é muito importante, pois demonstra a preocupação do observatório em todas as questões que envolvem o trânsito. Da educação, conscientização até o apoio as vítimas da violência no trânsito.

  • Luciane Ribeiro dos Santos de Moura
    Posted at 09:57h, 12 fevereiro Responder

    Parabéns pelo projeto!!! Importante para a pessoa e para a sociedade. Acredito que esse será o primeiro passo e outros seguirão esse exemplo. Por uma sociedade mais inclusiva.

  • JOSE ALFREDO BRANDAO E SOUSA
    Posted at 11:40h, 12 fevereiro Responder

    Recomeço, palavra sugestiva e que intitula perfeitamente o projeto. Acidentados no trânsito, mesmo aqueles que não ficam com sequelas físicas, precisam de acompanhamento psicológico, às vezes psiquiátricos. O nosso sistema de saúde, ao meu ver, ainda se preocupa mais com doenças físicas, o que ainda mal consegue fazer, porém, muitas das vezes, mesmo que curada a doença física restam graves sequelas psicológicas, como também acontece ao inverso, o psicológico somatizando em doença física. Aos que, repentinamente após um acidente se vêm como deficientes físicos, precisam de amparo imediato e continuado, pois afinal de contas, independente do agente causador do acidente, cabe uma parte da responsabilidade ao próprio Governo, que tem por obrigação garantir minimamente os direitos básicos da pessoa humana. Os acidentes na verdade, em grande maioria não deveriam levar este nome, pois na sua esmagadora maioria acontecem por falha humana, onde em quase 100% dos casos poderiam ser evitados. Parabéns ao ONSV por este projeto piloto.

  • LEANDRO CUNHA DA SILVA
    Posted at 12:41h, 12 fevereiro Responder

    Mais um projeto de excelência do ONSV, que visa o apoio saudável aos sequelados de acidentes, que muitas vezes sobreviveram, mas na verdade, morreram da pior forma: “em vida”. parabéns pela iniciativa.

  • washington felippe pereira
    Posted at 16:34h, 12 fevereiro Responder

    É certo afirmar que a nossa preocupação não deve ser apenas com o número de mortos e feridos no trânsito, bem assim com as medidas que são tomadas para que este número alarmante possa ser minimizado. Todavia, uma das preocupações mais importantes neste contexto tem a ver com o número muito grande de sequelados, vítimas destes acidentes. É motivo de satisfação saber que o ONSV tem se mostrado sensibilizado com esta questão e difundido este programa em parceria com o SBAIT e buscado minimizar o número de traumatismos e sequelados que afetam a nossa sociedade.

  • Amilton Reis dos Santos
    Posted at 12:48h, 13 fevereiro Responder

    Belíssima iniciativa do Observatório Nacional de Segurança Viária, aliás, mais uma irretocável iniciativa.

  • Carlos Henrique Ferreira de Mello
    Posted at 11:50h, 14 fevereiro Responder

    O nome RECOMEÇO para o Projeto foi bem escolhido. Iniciativa digna de elogios para as entidades participantes do Projeto como forma de reinserir as pessoas vítimas de acidentes no mercado de trabalho. Demonstra a preocupação das Instituições em não só contabilizar mortos e sequelados em estatísticas, mas dar outra oportunidade àqueles vitimados pelo trânsito brasileiro.

  • MARCELO WILIANS NEMESIO
    Posted at 06:10h, 15 fevereiro Responder

    Iniciativa importantíssima, estão todos de parabéns, pois é quando um acidentado precisa de apoio realmente quando ficam sequelas que irão perdurar pra vida toda. Gostaria de ver este projeto em outras regiões do nosso Pais.

  • Sidnei Araujo
    Posted at 10:06h, 17 fevereiro Responder

    Sem palavras para agradecer o idealizador desta brilhante ideia.
    Realmente temos de pensar nas vítimas dos acidentes viários, atenção e orientação é tudo que eles mais precisam neste momento tão delicado. Parabéns Observatório.

  • FABIO MOUTINHO TURMA 3 Obsv. Certif.
    Posted at 17:45h, 17 fevereiro Responder

    É de fato, uma excelente e inteligente iniciativa. Um projeto bem elaborado, pois, junta partes que se complementam, se ajudam. É digno de nota em jornal de alcance nacional. É uma pena a mídia nobre não dispender maiores esforços para divulgar esse tipo de prática. Parabéns aos envolvidos.

  • Valter Ferreira da silva
    Posted at 16:23h, 18 fevereiro Responder

    Medida de suma importância por parte do ONSV, vista que no trânsito, principalmente os motociclistas, existem um grade número que necessita muito do setor de traumato, para muito acidentados, recomeçar se torna uma atividade muito difícil quando não se tem apoio da área médica e de Hospitais preparados para o atendimento.
    Sabemos que a saúde publica deixa a desejar no que tange a recuperação de acidentados, muitos após o acidente perde algum membro “superior ou inferior”, por falta de um tratamento adequado e continuo, deixando sobre o acidentado sequelas irreversíveis pela negligencia na recuperação.

  • Antônio Peixoto de Melo
    Posted at 05:49h, 20 fevereiro Responder

    Projeto Recomeço
    “A conquista da liberdade é o algo que faz tanta poeira, que por medo da bagunça, preferimos, normalmente, optar pela arrumação. ” (Carlos Drummond de Andrade)
    Parabéns ao ONSV pelo empenho e dedicação na tentativa de fazer tantas arrumações no sentido de reconstruir uma sociedade melhor, um trânsito melhor e mais seguro para Todos.

  • Elmir Jorge Schneider
    Posted at 19:49h, 24 fevereiro Responder

    Não menos importante do que realizar trabalhos de prevenção e orientação para o trânsito é também observar com cuidado as vítimas do trânsito. Uma vez que existe um grande número de pessoas ainda muito jovens quando se envolvem em acidentes no trânsito, fazendo com que o cuidado e um olhar para estas pessoas seja fundamental. Como estas ocorrências geralmente são traumáticas e mudam toda a rotina das pessoas, esta vítimas precisam se readaptar a uma nova realidade, quando geralmente a própria família também não está preparada para fazer este acolhimento. E é neste momento, que entra a função do poder público instituições e ongs, que podem ajudar a minimizar este sofrimento tanto para a vítima como para a família,na medida de dar um encaminhamento adequado para cada situação específica.

  • JOSE EDIVO PEIXOTO FILHO
    Posted at 16:12h, 25 fevereiro Responder

    Parabéns pelos relevantes trabalhos distribuídos para a sociedade. Sabemos que a vida de uma pessoa envolvida em acidentes de transito é muito complexa, muitas vezes as sequelas são graves e permanentes, a inclusão se faz necessária.

  • Bruna de Oliveira Seiboth
    Posted at 11:10h, 26 fevereiro Responder

    É um trabalho desenvolvido de forma excepcional, parabéns a todos os desenvolvedores e participantes. No âmbito geral, se esquece como é difícil a a adaptação após ter uma sequela causada por acidente e a importância da vítima ter uma assistência emocional.

  • ANTONIO CARLOS GOMES
    Posted at 13:03h, 26 fevereiro Responder

    MUITO BOA ESTA INICIATIVA DO ONSV COM ESTE PROJETO RECOMEÇO O TRAUMA DE ACIDENTE NÃO É SÓ DOS FERIMENTOS VISIVEIS TEMOS O PÓS ACIDENTE QUE SÃO AS SEQUELAS FÍSICA E AS MENTAIS,A SENSAÇÃO DE ABANDONO DE INVALIDES E PRINCIPALMENTE FINANCEIRA AGIR NESTE CONTESTO É MUITO IMPORTANTE PARA ESTAS VITIMAS,PARA SUA INSERÇÃO TANTO NO MERCADO DE TRABALHO QUANTO NA SOCIEDADE COMO UM TODO.

  • Mauro Silva - Recife/PE
    Posted at 00:58h, 01 março Responder

    “RECOMEÇO” Começar de novo; refazer depois de interrupção; retomar: recomeçar um trabalho; recomeçou a andar depois do acidente. Retornar a fazer qualquer coisa. Que privilegio fazer parte disso, em: Acolher; Capacitar; treinar; qualificar e encaminhar. Isso não tem preço. Como Especialista em Psicologia Organizacional contribuir com um projeto desta magnitude é uma coisa impar.

  • Priscila Sauthier
    Posted at 22:58h, 01 março Responder

    O valor do Observatório para a sociedade é renovado mais uma vez através do Projeto Recomeço, qual acolhe e apoia aqueles que sofreram as consequências da insegurança do trânsito, devolvendo-lhes a sua cidadania. Uma iniciativa valorosa.

  • HELIO DIAS DE SOUZA
    Posted at 00:01h, 02 março Responder

    Muito bom o Projeto, pois essa parcela da população, motoristas ,passageiros e pedestres, precisam em primeiro lugar de acolhimento e simultaneamente prepará-los para sobreviver no pós-trauma. Já tive oportunidade há alguns anos, de desenvolver palestra no HOSPITAL da REDE SARAH em Jacarepaguá-RJ.

  • Diego da Silva Marques
    Posted at 18:00h, 02 março Responder

    Fiquei bem preocupado com as últimas medidas do governo Federal que pretendiam acabar com o seguro DPVAT, sabemos que há um alto índice de desonestidade por parte dos usuários que geram inúmeras fraudes no sistema, mas isso não pode ser motivo de acabar com o serviço pois muitas famílias sequer tem dinheiro para enterrar seus mortos provenientes dos acidentes de trânsito. Além disso a maioria das prefeituras dos pequenos municípios não tem as mínimas condições de arcarem com as despesas hospitalares provenientes dos acidentes que ocorrem em seus municípios e recorrem a transportarem as vítimas para municípios maiores que precisam do recurso do DPVAT para manterem em operação os atendimentos.é louvável a iniciativa do observatório em promover ações nesses locais mas acho que nesse momento o foco deve ser a manutenção do DPVAT.

  • Joaquim Alves do Carmo
    Posted at 22:24h, 02 março Responder

    Milhares de sequelados todos os anos, por muito mais iniciativas como essa. Os acidentes de trânsito afetam na maioria pessoas jovens que precisam de um acompanhamento para readaptação.

  • Alex Pinheiro Sessim
    Posted at 10:48h, 04 março Responder

    Projetos a favor da sociedade, com o único intuito de colaborar com essas pessoas que estão tão frágeis nesse momento. Parabéns pela iniciativa e ao hospital por abraçar a causa!

  • João Batista da Silva Neto
    Posted at 15:19h, 04 março Responder

    Parabéns pela iniciativa, ONSV! Muito importante essa preocupação com grupos socialmente invisibilizados e o projeto de reinserção e integração na sociedade. Por muito mais projetos como o Projeto Recomeço!

  • Jolserley Marcio Barbosa
    Posted at 17:24h, 04 março Responder

    Mais uma bela ação do ONSV. que mostra sua preocupação com essas pessoas que alem de todo o trauma sofrido com um acidente de transito ainda passa por dificuldade para ser reinserido no mercado de trabalho. Projeto recomeço em São Jose dos Campos que possa servir de exemplo para outros municípios.

  • Jose Antonio de Almeida
    Posted at 19:27h, 04 março Responder

    Parabéns pelo projeto!!!

    Houve divulgação deste projeto em nível nacional? Perguntei para algumas pessoas ninguém conhece.

  • Edenilton Barros Ferreira
    Posted at 23:18h, 04 março Responder

    Iniciativas extraordinária, uma ação importante para os que precisam de um apoio e ajuda para superar suas deficiências após sofrerem acidentes de trânsito, importante também é a participação de hospitais e as demais entidades se juntarem em um projeto inovador para dá assistência aos lesionados por acidentes de veículos.
    Parabém pela projeto.

  • SOLANGE RIBEIRO DA SILVA
    Posted at 18:48h, 08 março Responder

    Existe a necessidade de serem criadas todos os aparatos na legislações, na rede sociais, políticos, na saúde e educação e demais para as pessoas que sofreram de alguma forma, sequelas em acidentes relacionados ao trânsito, para serem reinseridas de forma humana na sociedade através do acolhimento e da assistência às vítimas e seus familiares para uma vida mais humana.

  • ALINE CECCONI
    Posted at 16:10h, 10 março Responder

    Existe muito a necessidade de recomeço para essas pessoas que foram vitimas de acidentes com sequelas. Temos um exemplo de colega em nosso CFC que foi atropelada há 33 anos em cima da calçada. Nesse acidente, ela perdeu uma perna e o bebê que estava esperando. Em relatos dela, a maior dificuldade de toda essa história foi o recomeço. Acredito se essas pessoal tiverem um maior apoio do governo e de pessoas capacitadas, esse recomeço não se dará tão difícil como vem sendo há anos.

  • GILSON DE JESUS CARDOSO
    Posted at 21:13h, 10 março Responder

    Iniciativa ímpar, pois a preocupação se estende também a quem já foi afetado pelo trânsito. O Projeto Recomeço mostra um olhar de humanidade para reinserir e acolher pessoas muitas vezes esquecidas e a margem da sociedade no contexto social novamente. Parabéns ao OBSERVATÓRIO Nacional de Segurança Viária, na pessoa do seu diretor-presidente, José Aurélio Ramalho pela iniciativa brilhante.

  • José Luiz Britto Bastos
    Posted at 22:24h, 10 março Responder

    Muito relevante o trabalho de tratamento a traumatizados, especialmente de acidentes de trânsito. Preparar um hospital para o tratamento especializado em traumatismos é bastante complexo. O OBSERVATÓRIO NACIONAL DE SEGURANÇA VIÁRIA, em suma dentro de sua importante missão de tratar e cuidar dos problemas oriundos dos acidentes de trânsito merece o nosso respeito e aplausos por sua atitude nobre de acompanhar o tratamento apoiar e trabalhar a reinserção dos traumatizados dos acidentes de trânsito, assim como às famílias, com vistas a diminuir o sofrimento dessas pessoas em face as perdas decorrentes desses lamentáveis e indesejáveis fatos.

  • Geraldo Medeiros Filho
    Posted at 13:34h, 12 março Responder

    A presença da consciência social produz empatia, acolhimento e trabalhos como este em comento.
    Qualquer um pode ser vítima do trânsito e não quer ser um peso social, não quer ficar encostado. esse trabalho levanta a alto estima e valoriza o cidadão sequelado, dando oportunidades do mesmo contribuir para a sociedade, trabalhando, gerando riqueza, e incluindo quem seria excluído.

  • Samir Moussa
    Posted at 17:31h, 12 março Responder

    Parabéns pela iniciativa do Observatório em levar todas essas informações sobre segurança viária aos Hospitais com esse Projeto Recomeço pois são nos hospitais que estão as realidades dos acidentes de transito.

  • FLAVIA VEGH BISSOLI
    Posted at 14:17h, 13 março Responder

    O Projeto é um trabalho mutidisciplinar de suma importância para os sequelados em acidentes e seus familiares.

    Excelente iniciativa, do ONSV que de mãos dadas com uma rede profissionais engajados realizam um importante e sério projeto.

    Já tive a oportunidade de assistir uma palestra do tema na Secretaria dos Direitos das Pessoas com Deficiências do Governo do Estado de São Paulo com a colaboração efetiva e magnifica da Rede Lucy Montoro e cheguei a conclusão de que se cada um de nós fizer uma pequena parte alcançaremos a um todo, temos muitos necessitados e podemos mudar o rumo da estória e fazer a diferença na vida e qualidade de vida de um cidadão, vítima de acidente de trâsnito.

  • Paulo Adriano Ferreira Alves
    Posted at 16:01h, 16 março Responder

    Esse projeto e uns dos mais bonitos que pude ler, não me canso de parabenizar o ONSV, por sua iniciativa e esforços em melhora a problemática transito, e ainda oferecendo oportunidades para as pessoas que por conta das mazelas do transito tiveram as suas oportunidades comprometidas.

  • Alexander Ferreira de Magalhães
    Posted at 22:31h, 16 março Responder

    Segundo estudo feito pela OMS em 2004 sobre prevenção de lesões no trânsito no mundo estimou-se que os gastos em com o tratamento de vítimas de acidentes de trânsito foram da ordem de cerca de 518 bilhões de dólares naquele ano.
    Em 2014, somente no Brasil, de acordo com dados do IPEA, compilados pelo ONSV, somente o custo total dos acidentes de trânsito em 2014 alcançou o patamar de cerca de 56 bilhões de reais. Neste mesmo ano, ainda segundo o IPEA, os custos dos acidentes em nossas rodovias federais foram da ordem de 12,8 bilhões, sendo que deste montante o maior valor estimado foi referente à perda de produção das pessoas (41,2%), isto é, quanto de renda uma vítima de trânsito deixa de auferir, tanto ao longo do período em que esteja afastada das atividades econômicas como, no caso de morte, em relação a sua expectativa de vida.
    Os impactos da perda de produção recaem sobre a previdência social e também sobre a família, em função de seu empobrecimento.
    Neste cenário, encontram-se inseridas as vítimas que em decorrência dos acidentes, passam a apresentar sequelas irreparáveis, incorporando o grupo de pessoas portadoras de necessidades especiais e que geralmente deixam de produzir em virtude de sua temporária e às vezes, definitiva incapacidade para o trabalho. Nesse contexto, emerge essa brilhante iniciativa do ONSV juntamente a SBAIT com o fito de possibilitar a reinserção no mercado de trabalho de vítimas que ainda apresentam capacidade laborativa, mas que precisam além de apoio e treinamento para readaptação laboral, da oportunidade de emprego. O projeto RECOMEÇO, além de tentar reduzir o impacto dos custos sociais, visa, principalmente, a recuperação da autoestima dos vitimados e sua reinserção social.
    Trata-se, pois, de mais uma importante ação do ONSV, no cumprimento de uma de suas importantes finalidades sociais, que, no caso, é o desenvolvimento, apoio e fortalecimento de organizações inovadoras que estejam alinhadas às finalidades do Observatório.

  • (FREDY) CARLOS FREDERICO TEJADA
    Posted at 20:05h, 17 março Responder

    Excelente! Considerando a máxima “nunca é tarde para aprender”, o Recomeço é uma maravilhosa oportunidade para a reintegração do sequelado. Deve aprender agora sobre suas limitações.
    Nesse projeto cabe um cuidado: Nunca permitir que uma pessoa normal pense que o amparo que possa receber em caso de acidente o colocará na mesma vida que tinha antes.

  • Nádia Sudário
    Posted at 20:29h, 18 março Responder

    Fantástica a iniciativa de acolher os politraumatizados e sequelados . Momento complexo e que abala o emocional particular e familiar, e nem sempre há informação suficiente sobre os seus direitos pós ocorrência.

  • kenedy Santos Pereira
    Posted at 22:54h, 18 março Responder

    Parabéns, pois uma pessoa que sofre um acidente de trânsito, muito mais que os cortes na pele, no corpo, são os traumas psicológicos, e a forma de lidar com esse fator é muito importante. Assim, é preciso uma esquipe multidisciplinar e comprometida com o trânsito, assim como a equipe do OBSERVATÓRIO

  • JOSÉ VANILSON ABREU DA SILVA
    Posted at 09:52h, 19 março Responder

    Parabéns observatório por mais uma iniciativa, essas pessoas precisam muito de um suporte que dêem a eles segurança, e que o trauma advindo de um acidente no trânsito não se torne um empecilho em sua vida social e profissional.

  • Leandro de Oliveira Machado
    Posted at 09:58h, 19 março Responder

    Esse projeto que o ONSV está envolvido demonstra o comprometimento do observatório com a sociedade brasileira, oferecer consultoria e ajuda com informações sobre os direitos em relação as indenizações que o Seguro DPVAT disponibiliza para as pessoas vitimas de acidentes de transito e que ficaram com alguma sequela.
    O projeto de inclusão dessa pessoas no mercado de trabalho, através das cotas para PcD, isso é motivador, mostrar para essas pessoas que elas podem ser úteis para a sociedade, é um gesto nobre e que demonstra a responsabilidade social do observatório.

  • Luciano Souto
    Posted at 13:29h, 23 março Responder

    Belo projeto, que visa a inclusão dessas pessoas na sociedade perante uma nova realidade, onde o amparo e a estrutura são necessárias para o desenvolvimento de todas as atividades.

  • ROSITANIA PEREIRA DE FARIAS
    Posted at 17:57h, 24 março Responder

    Recomeço é um projeto que visa a integração legítima para a mudanças de atitude e também é a chave para que haja modificações radicais no contexto brutal do trânsito. É na mudança de nosso pensamento e de nossa conduta nesse espaço complexo que a violência pode se transformar em paz e cordialidade, resultando na construção de um trânsito mais seguro para todos.
    Hoje insurge a necessidade urgente dessa construção e isso perpassa o dever ético de assumirmos nosso compromisso como protagonistas da mudança. A mobilidade humana precisa de fato seguir as regras que estão definidas em vários documentos normativos (Código de Trânsito Brasileiro, Constituição Federal etc.), rompendo com os atos supracitados tão nocivos e arraigados na nossa cultura. E isso fomenta uma série de desdobramentos: um trabalho eficaz de reconstrução de um trânsito mais seguro só acontece com a partilha de responsabilidades e a união sinérgica dos diversos setores da sociedade, e a inclusão do lesionado de forma positiva e multiplicadora é sem duvidas um grande paço rumo a mudança de comportamento.Hoje no Estado do Maranhão temos um projeto de grande relevância Social, assim como o recomeço , o que nos dar a certeza de estar no caminho certo, o mesmo denominamos de Projeto HUMANIZAR, trabalhamos com vítimas de acidentes de trânsito, geralmente cadeirantes,que acompanham a equipe do CET em todas atividades educativas dando seu testemunho acerca das consequências trágicas da violência no trânsito. O objetivo é sensibilizar, através de uma abordagem mais impactante e realística as pessoas, em geral acerca dos danos causados por comportamentos inseguros no trânsito.

  • Elidiana Flávia Pereira Leão
    Posted at 08:39h, 25 março Responder

    É de muita sensibilidade e empatia do ONSV a criação do projeto RECOMEÇO. Ninguém espera passar por acidente e muito menos adquirir sequelas. Também não há muita informação disponível dos direitos que as pessoas têm nestes casos e como lidar com a vida que segue após o acidente. Esse direcionamento para tratamento a fim de minimizar o sofrimento, melhorar a sua condição motora e de fala, e, por fim, a reinserção de traumatizados com sequelas na sociedade, é um trabalho social de extrema importância, que merece ser replicado em todo o país.

  • Edirley Fernandes Cardoso
    Posted at 12:50h, 25 março Responder

    Excelente iniciativa… Uma ação fundamental e necessária diante de uma realidade social de exclusão. Incluir através de projetos com este, traz a dignidade a pessoa sequelada que precisa de muito amor, acolhimento e inserção ao mundo do trabalho com limitações, mas não com exclusão.

  • Jackeline Silva dos Santos
    Posted at 13:52h, 25 março Responder

    Brilhante o projeto onde está em pauta o RECOMEÇO que muitas vezes é impossível para alguns sequelados, justamente por não disporem de recursos para se especializarem ou se prepararem para a reinserção a vida laboral que além de trazer ao sequelado a oportunidade de voltar à ativa e conseguir de forma digna o sustento de sua família, gera receita ao invés de despesa à previdência e redução de gastos ao Ministério da Saúde.
    Parabéns OSNV, avante!

  • EVANDRO SIEBRA DA SILVA
    Posted at 16:10h, 25 março Responder

    Espero que esse maravilhoso Projeto Recomeço seja disseminado no nosso país, uma vez que estará ajudando muitas pessoas. Acredito que uma pessoa que se torna sequelada, além do abalo físico, psicológico e financeiro, fica desmotivado para recomeçar, e aí chega o Projeto Recomeço para mudar a vida dessas pessoas. Parabéns ao ONSV e a todos envolvidos no Projeto!

  • HIDERALDO RODRIGUES GOMES
    Posted at 17:41h, 25 março Responder

    Importante projeto, com intuito de reconduzir o sequelado à sociedade, mas principalmente ao mercado de trabalho ou outra atividade, assim elevar seu psicológico , muito importante para a sobrevida.

  • Regiani Juciani Lacerda
    Posted at 12:40h, 26 março Responder

    Quanto o condutor decide cometer uma infração de transito que vai provocar um acidente onde sua vida terá que ser reconstruída a partir da sua reabilitação e reinserção ao convívio social no âmbito social e comercial, ele nunca esta preparado para esse Recomeço, projeto brilhante.

  • Gilson Tude da Rocha
    Posted at 21:30h, 26 março Responder

    Projeto RECOMEÇO excelente este projeto porque existe um grande numero de acidentados que não sabem nem por onde começar a procurar serviços médicos e a volta do acidentado ao trabalho .

  • Vítor Araújo Damascena
    Posted at 08:34h, 27 março Responder

    Projeto dar ao sequelado um novo recomeço para que possa se engajar, novamente, na sociedade e no mercado de trabalho.

  • Elequicina Maria dos Santos
    Posted at 14:26h, 28 março Responder

    Iniciativa inteligente. Sobretudo pela sua característica de reinserção social e apelo humanitário.

  • NORBERTO FIUZA DE CAMPOS
    Posted at 01:07h, 29 março Responder

    Matéria publica pelo G1 Sorocaba e Jundiaí em 17/05/2019:
    “Os dados preocupam: no ano passado, 46% dos pacientes atendidos pelo Centro de Reabilitação Lucy Montoro, localizado em Sorocaba (SP), sofreram acidentes de carro como motoristas ou passageiros. Destes casos, 75% aconteceram com homens com média de 40 anos. Dentro deste grupo, mais da metade das vítimas ficou paraplégica ou tetraplégica. O restante sofreu amputação de algum membro. A campanha “Maio Amarelo” busca chamar a atenção das pessoas quanto aos perigos na direção. O levantamento do centro de reabilitação aponta ainda que 40% dos pacientes que sofreram acidentes eram motociclistas, todos eles homens com média de 29 anos. Metade precisou passar por amputações. As vítimas de acidentes de trânsito passam por um longo processo de reabilitação e podem ter sequelas para a vida toda. As consequências não são apenas para o acidentado. Muitas vezes, a deficiência severa pede que alguém da família se dedique à vítima por tempo integral”, comenta Tamira Terao, diretora e médica fisiatra do centro de reabilitação. No geral, a idade média de vítimas de acidente de trânsito é de 35 anos, sendo 75% homens. O estudo apontou ainda que 11% dos pacientes eram vítimas de atropelamento, sendo que 66% são mulheres e todos os casos sofreram amputação” (fonte G1 Sorocaba).
    Os dados apontam para necessidade de ações como esta promovida em projeto piloto pelo Observatório, quase a metade dos reabilitandos é proveniente de acidente de trânsito e mais, a grande maioria em idade produtiva, porém que precisam de encaminhamento e oportunidade para reinserção na sociedade.

  • DANIELA FERNANDA CORGOZINHO
    Posted at 02:00h, 29 março Responder

    Tema fantástico, considero a reinserção uma das situações mais cruciais, é um aprender a viver de novo, independente da idade, a pessoa devera ter um amparo psicológico imenso! Não somente a vitima mas , todos do seu convívio, são adaptações, barreiras, preconceitos , um novo mundo pela frente. Tema difícil de palestrar e não se emocionar.

  • Tatiane D Oliveira Luiz
    Posted at 18:37h, 29 março Responder

    Belo projeto!! A Reinserção é muito importante e quase sempre deixada de lado. Portanto o projeto abordado é ótimo e desejo que ele seja um sucesso, pois sua causa é nobre e merecedora.

  • Edson Antonio Lamin
    Posted at 18:42h, 29 março Responder

    Importantíssimo projeto, parabenizar essa parceria ONSV e SBAIT, onde o cidadão sendo reinserido no mercado de trabalho torna se mais confiante num momento de grande mudanças.
    Que esse projeto piloto se dissemine por todo país.

  • EDSON JAMES RASERA
    Posted at 22:59h, 29 março Responder

    Muito bom a proposta do Projeto Recomeço, a volta ao trabalho para uma pessoa sequelada tem muitas restrições ainda por algumas empresas. É preciso quebrar este paradigma. Como sugestão, talvez levar esta proposta ao SINE, poderia se criar (se não existe ainda na legislação federal) um incentivo para empresas que admitirem pessoas deste projeto.

  • STALEN HUALANS MENEZES FELINTO
    Posted at 18:31h, 30 março Responder

    Considerando que muitas vezes os acidentes provocam graves sequelas aos sobreviventes dos traumas, impondo-lhes severas limitações não só físicas, mas também financeiras e provocando a completa desestabilização de famílias inteiras, esse projeto oferece não só o apoio necessário às vítimas dos acidentes e suas famílias, mas também nos fornece a esperança de que é possível a criação de ações, interligadas com outros setores e disponíveis em cada território que permitam a perpetuação do viver. Me lembra a conceituação de saúde advinda de Canguilhem, ao propor que saúde é um aspecto presente em cada ser humano independente de suas limitações, sendo justamente a capacidade que temos de produzir novas normatividades, novas formas de agir, novas formas de viver independente de suas condições físicas impostas. Certamente é necessário a criação não só de projetos/programas, mas também de políticas públicas que garantam de fato a inserção de pessoas com mobilidade reduzida no mercado de trabalho. Parabéns ao observatório e às empresas parceiras pela visão, espero contribuir de alguma maneira para a amplificação deste processo.

  • Ronaldo Ivan da Cruz Mesquita
    Posted at 14:20h, 31 março Responder

    Iniciativa muito importante, pois preenche uma lacuna que o estado não se faz tão presente e que na sua aplicabilidade irá ajudar muito aqueles que após um acidente precisam de um recomeço seguro, para continuarem suas vidas. Esse projeto muda muito o que acontece hoje, pois após um acidente as pessoas e a família ficam desassistidas, sofrendo grandes dificuldades e traumas que vão além do acidente.

  • Ronald Vittal
    Posted at 14:22h, 31 março Responder

    Grande iniciativa do ONSV. O Projeto RECOMEÇO é digno de elogios para as entidades participantes como forma de reinserir as pessoas vítimas de acidentes no mercado de trabalho. Demonstra a preocupação em não só contabilizar mortos e vítimas em estatísticas.

  • Delnandina MMMonteiro
    Posted at 20:17h, 31 março Responder

    Na oportunidade cumprimento o Observatório pelo legado do Projeto Recomeço, oportunizando as pessoas acidentadas quanto à assistência prestada.

  • André ferreira dos Santos
    Posted at 14:30h, 01 abril Responder

    Parabéns pela belíssima iniciativa do Observatório, que pode ser um começo para se criar politicas publicas para quem tem mobilidade reduzida. Essa iniciativa do ONSV juntamente a SBAIT possibilita a oportunidade das vítimas que ainda apresentam capacidade laborativa que precisam de apoio e treinamento para que tenham oportunidade de emprego. O projeto visa, principalmente, a recuperação da autoestima das vitimas, ONSV, no cumprimento de uma de suas importantes finalidades sociais, do desenvolvimento das organizações que estejam em consonância com os pensamentos e politicas do observatório.

  • Marcia Cristina Araújo Pereira
    Posted at 15:04h, 02 abril Responder

    Que o projeto seja estendido por todo o país, visto que a reinserção do indivíduo que apresenta sequelas causadas por acidente de trânsito é extremamente complicada devido à falta de informações e suporte nesses casos.

  • MORGANA GARIBALDI DIEFENTHAELER
    Posted at 23:21h, 02 abril Responder

    Emocionante este projeto. Espero que, em breve, os resultados da iniciativa sejam apresentados e seja estruturada a sua expansão para outros municípios. Pessoas precisam de pessoas. Avante!

  • Gizela Eliane Ferreira da Costa Roewer
    Posted at 01:08h, 03 abril Responder

    Excelente trabalho, uma vez que a vítima está fragilizada emocionalmente e o apoio à família é essencial para saber como agir diante desse novo modo de vida. Lembrando que muita coisa muda após o acidente e isso envolve toda a família.

  • MARGARETH GRAMACHO FADIGAS
    Posted at 14:32h, 03 abril Responder

    Não conhecia esta iniciativa da ONSV. Pergunto-me se este não seria um quinto, além de estudos e pesquisas, dados e informações, educação e advocacy. este seria o eixo de responsabilidade social, extremamente relevante considerando que os danos psicológicos e sociais causados pelos acidentes são irretratáveis, é louvável que o Observatório se envolva em ações que possam minimizá-los.

  • Romolo Tacchelli
    Posted at 17:24h, 04 abril Responder

    Importante ação, uma vez que nem sempre os acidentados estão em condições emocionais, ou mesmo são detentores de conhecimento do que lhes são de direito e benefícios que possui. Por vezes até conhecem mas não sabem nem por onde começar. Meu parabéns!! Com certeza será uma honra poder participar de tantas ações e projetos que visam a segurança e o bem estar da população.

  • Anderson Clayton da Silva Borges
    Posted at 01:02h, 05 abril Responder

    Projeto de excelência , inclusive á Administração Publica deveria investir mais em hospitais de recuperação em acidente de Trânsito, ou ate mesmo criar um hospital de VITIMAS DO TRÂNSITO..

  • JUCIMARA MESSIAS FERNANDES LIMA
    Posted at 15:46h, 05 abril Responder

    O nome do projeto é lindo, e para quem teve sua liberdade roubada esse projeto vem como divisor de águas, devolvendo a liberdade, muitas vezes a dignidade, tendo como proposta a inclusão no mercado de trabalho que é fundamental e necessário para a superação desses cidadãos, Que esse projeto piloto seja um sucesso e assim possa ser implantado por todo o país!

  • Nizandro Martins Ramos
    Posted at 20:02h, 05 abril Responder

    Excelente projeto que reintegra pessoas ao mercado de trabalho, inclusive essa pessoa acaba se transformando em mais um que ajudará na luta pela diminuição de acidentes no Brasil, através da simples conversa com colegas de trabalho, ou mesmo, no caso de profissionais direcionados para instituições de ensino, poderão utilizar do próprio exemplo para conscientizar aos alunos. Temos o caso emblemático de Fernando Fernandes que ficou conhecido por ter participado do BBB em 2002 e no ano de 2009 ficou paraplégico após um acidente automobilístico. Atualmente é atleta paraolímpico e utiliza do seu exemplo para aconselhar jovens dos perigos do trânsito.

  • Gisele Pereira
    Posted at 21:03h, 05 abril Responder

    Excelente iniciativa!! Realmente para quem fica sequelado e para diminuir a sensação de abandono, o Recomeço é um verdadeiro RECOMEÇO de esperança, de aprendizado e de vida.
    Aqueles que infelizmente já tiveram alguma sequela ou algum tipo de acidente, são aqueles que poderão auxiliar ainda mais nesta luta de prevenção.
    Que esse possa ser um projeto que se torne obrigatório e amplie para todo o país.

  • Demétrius Silveira
    Posted at 15:17h, 06 abril Responder

    É de suma importância um projeto desse , são muitas pessoa que sequelas e isoladas
    por lá´acho o máximo esses tipos de projetos Parabéns Ramalho mais uma vez.

  • Daniel Furtado Alves
    Posted at 14:09h, 23 junho Responder

    Realizações como esta, demonstram que as consequências de um acidente se arrastam por uma vida e que devemos nos preocupar primeiramente em reduzir o número de acidentes, mas não podemos deixar de amparar as vítimas, com projetos e soluções desenvolvidas por profissionais altamente qualificados e com forte senso de humanidade.
    Parabéns ONSV e apoiadores!

  • Viviane Eduarda
    Posted at 19:44h, 24 junho Responder

    Este Projeto Recomeço possui grande importância social de inclusão das vítimas que, após serem submetidas a situações traumatizantes possuem a possibilidade de serem recolocadas no mercado de trabalho que conta com esta demanda mas, que muitas vezes a vítima não tem conhecimento ou acredita não ser mais capaz de realizar qualquer atividade laboral.

  • João Francisco Leandro
    Posted at 21:34h, 24 junho Responder

    Sensacional parabéns pelo trabalho e que este não seja apenas o único mas sim o primeiro de muitos.
    Realmente alem de o cidadão parar de produzir começa a gerar gastos, mas isso ainda é o mínimo pois olhando para o lado emocional não só do paciente ou da pessoa vitima destas sequelas, mas também pelo desgaste que tudo isso gera para a família como um todo.
    Minha mãe teve a perna amputada, não por acidente, por diabetes e já com 92 anos. Com isso minha vida foi totalmente transformada, porque ele precisava de tudo nas mãos e todo cuidado ainda era pouco.
    maginem um profissional na ativa com todos os sonhos, sendo interrompido de um minuto para outro?
    Estes realmente merecem nossa atenção e carinho.

  • ELISIO SOUZA MELO
    Posted at 12:02h, 27 junho Responder

    A vida não permite ensaios, ela é única, você tem sempre que estar preparado para a apresentação sem ter tempo de ensaiar.
    Sua essência, na maioria das vidas, é ser ÚTIL à alguém, à uma causa, à sociedade… O Projeto Recomeço pelo pouco que eu li, possibilita uma nova integração ao que vou escolhido pela pessoa que passou por um evento involuntário.

  • Lylian Tsai Strinta
    Posted at 00:23h, 29 junho Responder

    Um trabalho humanitário de apoio médico, jurídico e a inserção do sequelado no mercado de trabalho. Parabéns a todos envolvidos! Lembrando que a sequela não é apenas restrita ao condutor mas estende a família também.

  • Celso Luiz Ferreira
    Posted at 08:32h, 02 julho Responder

    Projeto fantástico, certamente fará diferença na vida das vítimas, assim como na vida de seus familiares, essa prestação de serviço assistencial, atenção e acolhimento, parabéns.

  • ROBERTO OLIVEIRA GARCIA
    Posted at 12:08h, 05 julho Responder

    Um projeto excelente, que beneficiará inúmeras pessoas. Realizo visitas a hospitais em Fortaleza pra conversar com pacientes vitimas de trauma, principalmente motociclistas, e o que percebemos na maioria dos casos, são profissionais autônomos, que fazem uso profissional da motocicleta, sem vínculo empregatício e totalmente desamparados, passando meses no hospital e sem nenhuma perspectiva de melhoria quando saírem. O Projeto Recomeço traz esperança as pessoas agraciadas. Parabéns.

  • Wanderlei Cesar Barneze
    Posted at 09:11h, 06 julho Responder

    Sempre se trabalha, se orienta, se busca levar informações sobre os acidentes de trânsito, mas quando acontece, as vítimas ficam realmente meio que esquecidas.
    Mais um projeto de extrema humanidade sendo tratado pelo Observatório em parceria com outras entidades que visão amparar esses acidentados.
    A condição financeira, emocional, entre outros aspectos são muito fortemente afetados pelos que sofrem acidentes e ficam com sequelas em função deles.
    Com o passar do tempo outros municípios, estados poderão se beneficiar também dessas parcerias e voltar seu olhar para essas pessoas.
    Parabéns a mais uma iniciativa e oxalá que outros entidades, principalmente governamentais incorporem essas idéias e as transformem em ações.

  • Rosa Moraes
    Posted at 15:26h, 06 julho Responder

    Parabéns pela iniciativa! belíssimo trabalho.

  • Alberto Lopes Cruz
    Posted at 09:46h, 07 julho Responder

    Que trabalho importante e de qualidade para essas pessoas que não sabe o que fazer depois de um acidente, precisamos que em todo país tenhamos iniciativas como essas, parabéns a todos que se envolveram no carinho e amor a essas pessoas e seus familiares.

  • Jose Carlos Lo. da Silva
    Posted at 17:23h, 07 julho Responder

    O projeto recomeço, representa a reinserção das pessoas com algum tipo de sequela e seria uma boa oportunidade para treinar os OBSERVADORES, para fazer a implantação nos seus respectivos estados

  • Gerson Jorge da Silva
    Posted at 22:17h, 08 julho Responder

    Gerson Jorge da Silva

    Realmente tiro meu chapéu para o Observatório, confesso que fiquei encantado com a idéia, pois a vítima sequelada muitas vezes psicologicamente sente-se destruída pela inconformidade da situação e a perda da esperança de voltar a viver e produzir.

    • Sebastiao Pereira da Silva
      Posted at 17:23h, 16 julho Responder

      O Projeto RECOMEÇO é um excelente mecanismo para ajudar as vítimas de acidentes de trânsito, ( sequelados) o Obseevatorio Nacional de Segurança Viária ONSV está de parabéns pela a belíssima iniciativa juntamente com as empresas parceiras. Com certeza essas parcerias vão colaborar bastante com essas pessoas, tanto no sentido cuidar enquanto sequelados, dando assistência jurídica, e motivá-los inserindo-os novamente na sociedade através de uma oportunidade de trabalho por meio dos programas voltados para pessoas com deficiência.

  • Maria Inês Tondello Rodrigues
    Posted at 13:30h, 11 julho Responder

    Na nossa vida, estamos sempre recomeçando. Brilhante a ação do ONSV e proporcionar esse recomeço de forma eficaz e humana para as pessoas vítimas de trânsito. Em algumas cidades ainda é possível visualizarmos sequelados do trânsito em busca de oportunidades para se reinserirem na sociedade de forma ativa. Esse projeto tem muito pela frente. Esperança e motivação para seguir em frente e promover esse incentivo em outras fronteiras.

  • RENAN CARDOSO PAULINO
    Posted at 23:10h, 12 julho Responder

    Projeto muito interessante, pois direciona as pessoas que estão no processo de reabilitação para a nova inserção no mercado de trabalho. Na região onde resido, existe uma dificuldade muito grande das empresas em encontrar profissionais PCD para o cumprimento das cotas.
    Essa iniciativa poderá integrar os dois lados, quem está procurando a recolocação no mercado de trabalho e as empresas que estão procurando esses profissionais.

  • VALDILSON AP. LOPES
    Posted at 15:10h, 16 julho Responder

    Excelente projeto e parabéns pela iniciativa.

  • Jean José Almeida Araújo
    Posted at 19:00h, 19 julho Responder

    Projetos como esse que fazem a diferença e deixam o trânsito ainda mais humanizado e com um novo olhar sobretudo para aqueles que mais precisam.

  • Jansen Ricardo
    Posted at 17:14h, 21 julho Responder

    Uma grande iniciativa que combaterá a inercia e os traumas do pós acidente e proporcionará atividades ao cotidiano das pessoas envolvidas e seus familiares. Parabém aos idealizadores.

  • Guto Giovani de Oliveira Castro
    Posted at 20:16h, 21 julho Responder

    Mais um excelente projeto desenvolvido pelo Observatório Nacional de Segurança Viária e a Sociedade Brasileira de Atendimento Integrado ao Traumatizado (SBAIT). Vamos buscar essa parceria para trazer esse trabalho também aqui para Natal (RN).

  • MARCELO LUIZ ALVES
    Posted at 22:23h, 21 julho Responder

    Belíssimo projeto, muitas pessoas são afetadas com sequela depois de sofrerem acidente de trânsito e não sabe se quer, como recorrer seus direitos, como o seguro DPVAT, com o projeto RENACER além dessas pessoas receberem assistência que é fundamental para sua recuperação, são reintegrados a sociedade e continuarão produtivos, além de recuperarem a sua autoestima.

  • MARCELO LUIZ ALVES
    Posted at 22:25h, 21 julho Responder

    Belíssimo projeto, muitas pessoas são afetadas com sequela depois de sofrerem acidente de trânsito e não sabe se quer como recorrer seus direitos, como o seguro DPVAT, com o projeto RECOMEÇO, além dessas pessoas receberem assistência que é fundamental para sua recuperação, são reintegrados a sociedade e continuarão produtivos, além de recuperarem a sua autoestima.

  • wlamir lopes da costa
    Posted at 11:10h, 23 julho Responder

    Parabéns pelo projeto. Acredito que a experiência sobre as consequências de um acidente de trânsito possibilita que esse contato com as pessoas sequeladas seja facilitado pelo caminho da empatia, facilitando a interação e o caminho de reinclusão.

  • Camila de Assis
    Posted at 20:24h, 25 julho Responder

    Com o Projeto Recomeço o Observatório Nacional de Segurança Viária demonstra toda a sua abrangência de visão no tema trânsito. Considerando não somente a prevenção de acidentes no trânsito, mas todas as consequências decorrentes do mesmo, como exemplo, a preocupação com a reinserção na sociedade pessoas sequelas em acidentes.

  • Fabio Bertrani Leme
    Posted at 19:14h, 28 julho Responder

    Uma ação memorável, acho que essa é uma boa definição para o projeto RECOMEÇO.
    É importante fomentar a tese que o acidente de trânsito não é só um ato momentâneo, ele tem um antes e também um depois. O antes pode e deve ser trabalhado preventivamente para que não tenha as próximas etapas. Contudo, havendo o acidente é necessário compreender quais serão suas consequências. O pós acidente pode afetar várias áreas da vida da vítima, como consequências sociais, de saúde mental e física, econômica, profissional, entre outras.

  • Carlos Pereira Terto Junior
    Posted at 11:11h, 29 julho Responder

    As vítimas de trânsito em sua maioria não tem conhecimento de seus direitos e ficam largados a própria sorte, o projeto elaborado pelo Observatório nos causou uma felicidade por fazer renascer a chama da vida naqueles sequelados no trânsito e dar-lhes a devida atenção e respeito que merecem. Parabéns!

  • Fernando Márcio Fernandes
    Posted at 22:55h, 30 julho Responder

    Imagina um motorista profissional em plena atividade, que se envolve em um acidente, e como sequela, ficou sem forças em um braço, o que o impede de continuar sendo um profissional do volante. Mesmo tendo uma indenização ou aposentadoria, seria o bastante para sua qualidade de vida? belíssima essa iniciativa, confesso que nunca tinha ouvido falar em algo assim. Mesmo fazendo sempre o melhor, acidentes podem acontecer e quando as coisas estão ruins, o mais importante é uma mão amiga para o “RECOMEÇO”. Parabéns Observatório, parabéns Presidente Ramalho.

  • Arison Benevenuto Sales de Oliveira
    Posted at 00:33h, 31 julho Responder

    Projeto interessante e inovador. A reinserção de um profissional após um trauma ocasionado por um acidente de trânsito traz inúmeros benefícios físicos, psicológicos e econômicos para o indivíduo e para a sociedade.

  • Maria de Fátima Siqueira Dantas
    Posted at 16:40h, 31 julho Responder

    É louvável a iniciativa do Observatório Nacional de Segurança Viária através do Diretor-Presidente, José Aurélio Ramalho e demais colaboradores que contribuíram para a realização desse Projeto de tamanha relevância para a sociedade.
    O Projeto RECOMEÇO, traz uma expectativa grandiosa para a vitima recuperada, e, principalmente para os seus familiares, vocês não imaginam como é gratificante a volta de uma pessoa com deficiência ao trabalho. PARABÉNS!

  • Sonia Cristina Gonçalves
    Posted at 02:04h, 04 agosto Responder

    Mais um projeto de excelência do ONSV. Parabéns a todos os envolvidos pelo espírito de fraternidade ao trabalhar pela inclusão de vítimas traumatizadas e com sequelas no mercado de trabalho.
    A iniciativa é benéfica não só para os acidentados mas para toda a sociedade, as empresas e o governo. Todos ganham. É o ONSV e parceiros levando respeito, solidariedade e valor para quem, muitas vezes, já havia perdido a esperança de um recomeço.

  • LUCIELE SANTOS VACCHI PASSOS
    Posted at 15:45h, 04 agosto Responder

    Excelente trabalho, e de suma importância por parte do ONSV, vista que no trânsito, principalmente os motociclistas, existem um grade número que necessita muito do setor de traumato, para muito acidentados, recomeçar se torna uma atividade muito difícil, pois as ocorrências geralmente são traumáticas e mudam toda a rotina das pessoas, esta vítimas precisam se readaptar a uma nova realidade, quando geralmente a própria família também não está preparada para fazer este acolhimento.

  • Daniele Aparecida da Silva Cruz
    Posted at 15:24h, 05 agosto Responder

    Que projeto brilhante!Aqui no município de Lavras tenho um colega de trabalho Agente que Trânsito que sofreu acidente de motocicleta e ficou com deficiência na perna e percebo que ele não tem nenhum suporte e apoio, parabéns pelo projeto, muito humano.

  • Adenilton Alves Bezerra
    Posted at 22:30h, 06 agosto Responder

    Tiro meu chapéu pra ações dessa natureza; Excelente e plausível trabalho do ONSV e SBAIT junto ao HMJCF..

  • Lúcia Helena Cassiano Michelon
    Posted at 08:28h, 07 agosto Responder

    Projeto maravilhoso! Que sirva de inspiração para outras iniciativas. São muitos brasileiros sem espaço para o “RECOMEÇO”.

  • EDIRA POLIDO DO
    Posted at 15:54h, 07 agosto Responder

    Parabéns pela iniciativa tão necessária porque os sequelados graves e as familias precisam a aprender a conviver com uma nova realidade bem difícil e desafiadora. Muito importante este projeto.

  • Manoel Soares Pinheiro Junior
    Posted at 22:20h, 07 agosto Responder

    PARABÉNS PELA INICIATIVA, PODEMOS LEVAR ESSE PROJETO A OUTROS ESTADO E MUNICÍPIOS, COM A ORIENTAÇÃO DO ONSV, ESSA NECESSIDADE DENTRO DE UNIDADES DE SAÚDE QUE É MUITO GRANDE , SEMPRE TRABALHO AS UNIDADES DE SAÚDE E UPAS, AQUI EM MINNHA REGIO

  • Manoel Soares Pinheiro Junior
    Posted at 22:22h, 07 agosto Responder

    CORRIGIDO,
    PARABÉNS PELA INICIATIVA, PODEMOS LEVAR ESSE PROJETO A OUTROS ESTADO E MUNICÍPIOS, COM A ORIENTAÇÃO DO ONSV, ESSA NECESSIDADE DENTRO DE UNIDADES DE SAÚDE QUE É MUITO GRANDE , SEMPRE TRABALHO AS UNIDADES DE SAÚDE E UPAS, AQUI EM MINHA REGIÃO

  • Élida de Souza Cândido
    Posted at 18:26h, 09 agosto Responder

    Excelente projeto, uma vez que a recolocação dos sequelados permanentes no mercado de trabalho, além de trazer benefícios à própria pessoa, também contribui para reduzir as despesas do Estado. Desse modo, deve receber apoio dos governantes.

  • João Alexandre Mendes
    Posted at 19:28h, 09 agosto Responder

    Excelente trabalho. Parabéns ao Observatório, especialmente ao Diretor-Presidente. É importante a inserção das pessoas debilitadas ao mercado de trabalho. Por fim, uma sugestão seria a ampla divulgação do projeto através dos diversos meios de comunicação, criando um padrão para todo o Brasil.

  • EMILSON JOSÉ DE SOUSA
    Posted at 22:09h, 10 agosto Responder

    valorizar o ser humano através deste projeto é o que há de mais bonito na busca da auto estima do sequelado,mais uma vez mostra a importância do ONSV na vida dos cidadãos. Projeto este que deveria ser implantado por todo o brasil

  • JOSIRLEY DA SILVA
    Posted at 19:32h, 12 agosto Responder

    Parabéns ao Observatório pois o projeto abrange a todos, envolvendo a família da vitima , e o amparo da vitima no momento de maior fragilidade .Oportunizando um recomeço de vida para a vitima e proporcionando oportunidades de vivencia, pós o trauma

  • Juliana Guimaraes
    Posted at 19:27h, 13 agosto Responder

    Projeto muito interessante, que amplia o foco de atuação no sistema transito, trazendo atenção social e à saúde da população.

  • Albervan Barreto
    Posted at 12:59h, 14 agosto Responder

    Fui vítima de acidente grave de trânsito e sei da importância de Projetos como este. Parabenizo o Observatório por tentar levar um pouco de atenção, acolhimento e assistência às vítimas e seus familiares, Mesmo amparado pelo plano de saúde, as vitimas estão fora da sua zona de conforto, em meio a situações adversas e este tipo de apoio é crucial, mais uma vez parabéns!!!

  • EDERSON DE OLIVEIRA LIMA
    Posted at 11:03h, 15 agosto Responder

    Bom dia, o amparo psicológico é muito importante dado a gravidade do acidente. Na maioria das vezes, o acidentado e também os familiares não conhecem seus direitos ou os procedimentos a serem tomados. Parabéns ao Observatório.

  • Anderson Boás Viana
    Posted at 19:03h, 15 agosto Responder

    Um projeto como o Recomeço do ONSV serve de inspiração e mostra a responsabilidade e preocupação que devemos ter com a inclusão social. Esse projeto do ONSV em parceria com a SBAIT, que trata sobre reinserir traumatizados com sequelas na sociedade, implantado no município de São José dos Campos como piloto. Assim como esse projeto já é possível encontrar vários outros projetos na mesma linha, posso citar o Detran Maranhão que desenvolve o projeto Humanizar: o projeto inclui pessoas com deficiência, vítimas de acidentes de trânsito, em ações educativas e as torna multiplicadoras. Que surjam novos projetos como esses!

  • ANDRÉ SILVA RESENDE
    Posted at 06:04h, 16 agosto Responder

    É UM PROJETO BELÍSSIMO QUE DEVE SER LEVADO PARA TODO PAIS, FACILITANDO ASSIM PARA EMPRESA ENCONTRA UM FUNCIONÁRIO COM O PERFIL QUE ELA PROCURA E FAZENDO SEU PAPEL SOCIAL.

  • Lilian
    Posted at 17:50h, 16 agosto Responder

    Parabéns pela iniciativa, um projeto de excelência do ONSV, que visa o apoio saudável aos sequelados de acidentes. Muitas vezes falamos somente das mortes no trânsito e esquecemos daqueles que sobreviveram, e suas vidas foram transformadas, com danos irreparáveis causados pelo acidente. Parabéns pela iniciativa com o cuidado as vítimas do trânsito.

  • Cynthia Ferreira
    Posted at 00:10h, 17 agosto Responder

    A maioria dos pacientes traumatizados precisam receber um tratamento de ponta assim é indispensável que tenham a oportunidade de acesso com boas equipes multiprofissionais. O Recomeço é um programa inovador que permite apoio aos pacientes, independente de sexo, cor religião e posição sócio econômica.

  • Amanda Conceição
    Posted at 09:51h, 17 agosto Responder

    Parabéns pela iniciativa. Muito bom.

  • Thiago Soares Manco Duenhas
    Posted at 17:46h, 17 agosto Responder

    O projeto Recomeço é uma iniciativa brilhante de reinserção de pessoais que sofrem com algum tipo de sequela ou limitação física em decorrência de um acidente de trânsito. As informações e colaboração do DPVAT com certeza virão para somar o fomento deste projeto. Parabéns!

  • Vera Lúcia Costa Ferreira
    Posted at 20:38h, 17 agosto Responder

    RECOMEÇAR É DIFÍCIL EM DETERMINADOS CASOS MAS É NECESSÁRIO FOMENTAR AÇÕES E PROJETOS DE INCLUSÃO AOS ACIDENTADOS DO TRÂNSITO.

  • VERONICA LEMOS
    Posted at 22:09h, 17 agosto Responder

    Um belo projeto que devolve a dignidade através do acolhimento das vítimas e dos seus familiares. Possibilitando que novos objetivos sejam traçados diante de um acontecimento devastador e que da ao deficiente a oportunidade de desenvolver outras capacidades e continue contribuindo com a sociedade.

  • Lucas Cunha Daniel
    Posted at 22:10h, 17 agosto Responder

    Por eu ter um exemplo dentro de casa (minha irmã é acidentada e teve sequelas irreversíveis), dou sempre um apoio maior a esse tipo de causa. Esse tipo de Projeto é muito importante pois no caso dentro da minha casa, pouco foi oferecido como ajuda. Precisamos de muita ajuda externa de amigos para pagar fisioterapia, despesas hospitalares e tudo mais.
    É importante demais pensarmos nos que ficam com sequelas pro resto da vida.
    Que esses e outros projetos possam vir a engrandecer e ajudar os que ficam permanentemente inválidos.

  • CINTHIA GABRIELLE TOLENTINO DE ALMEIDA
    Posted at 22:12h, 17 agosto Responder

    Excelente projeto , acolhedor e necessário. Trabalhamos o tempo todo em prol de medidas preventivas para evitar acidentes e em algumas situações esquecemos os que foram envolvidos e sofrem as consequências físicas e emocionais dos danos decorrentes do acidente. Saber seus direitos, ser reinserido no meio social , em especial por meio de práticas de esportes, receber orientação jurídica devolvem dignidade ao indivíduo.

  • Cintia Garcia
    Posted at 22:49h, 17 agosto Responder

    Linda atitude e iniciativa… Pois todos precisamos saber recomeçar… Devemos sempre praticar a resiliência e sermos forte diante doa obstaculos que a vida nos põe… E parabéns ao Observatório pela magnifica iniciativa

  • Carlita Moraes Bastos
    Posted at 10:55h, 19 agosto Responder

    O projeto RECOMEÇO é um trabalho relevante na valorização da vida. O próprio nome diz: recomeçar a vida após um acidente principalmente com sequelas, é muito difícil. A desesperança, o desânimo, muitas vezes toma conta das pessoas que sofreram acidentes diante as dificuldades na conquista de seus direitos do seguro DPVAT. Muito comumente transforma em “um tipo de caridade, esmola” é um ir e vir sem fim. Mais uma vez a importância do conhecimento faz a diferença para que as pessoas possam percorrer um caminho mais digno do ser humano. A reabilitação em um acidente, vai muito além da parte física. Parabéns pelo projeto.

  • Danilo Costa
    Posted at 13:46h, 19 agosto Responder

    Lindo e emocionante projeto. O acolhimento e o papel da reinclusão é algo dignificante e que nos diferencia de meros animais. Sermos solidários e apoiarmos o proximo a passar por um momento de adversidade nos engrandece.
    Mas esse projeto tambem deve servir para mostrar o outro lado. O lado do sofrimento e dos custos decorrentes de atos irresponsaveis e imprudentes. A maioria dos acidentes, não são acidentes, e sim atos dolosos/culposos em quem as pessoas assumem os riscos dos resultados.

  • José Eduardo Cardoso de Faria Monteiro
    Posted at 17:27h, 19 agosto Responder

    Mais um bela e importante iniciativa do Obaservatório. Parabéns!!!!

  • Thiane Macêdo
    Posted at 23:18h, 19 agosto Responder

    Parabéns !
    Observatório sempre voltado a salvar vidas no trânsito e desenvolvendo mais uma vez um excelente trabalho com assistências as pessoas pós acidentes. Orgulho de poder fazer parte dessa equipe.

  • ALEXANDRE GONÇALVES DE MATOS
    Posted at 02:49h, 20 agosto Responder

    Magnifico trabalho, parabéns a todos os envolvidos neste projeto, um trabalho voltado para confortar as vítimas de tantos acidentes, espero um dia poder também contribuir para a nossa sociedade.

Post A Comment