OBSERVATÓRIO | Parceria ONSV, Detran e UFPR leva palestras para 30 cidades do Paraná
7276
post-template-default,single,single-post,postid-7276,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-10.1.1,wpb-js-composer js-comp-ver-5.0.1,vc_responsive

Parceria ONSV, Detran e UFPR leva palestras para 30 cidades do Paraná

Parceria ONSV, Detran e UFPR leva palestras para 30 cidades do Paraná

Segurança viária e mobilidade foram o tema central das palestras proferidas por meio do sistema de ensino à distância do Detran-PR

Uma parceria entre o OBSERVATÓRIO Nacional de Segurança Viária – ONSV, Detran-PR (Departamento de Trânsito do Paraná) e a Universidade Federal do Paraná (UFPR), possibilitou que a importância da segurança viária fosse discutida em palestras que atingiram 30 municípios paranaenses, durante a Semana Nacional de Trânsito realizada de 18 a 25 de setembro.

Com o objetivo de levar conhecimento técnico sobre segurança viária e mobilidade para profissionais da área de trânsito no interior daquele Estado, foram proferidas 12 palestras entre os dias 19 e 23 de setembro, por meio do sistema de ensino à distância do Detran-PR.

A realização das palestras envolveu grupo de oito alunos pesquisadores do curso de Engenharia Civil da universidade, orientados pelo professor Jorge Tiago Bastos. E o público foi composto por profissionais que atuam no trânsito, entre eles, policiais, instrutores de centros de formação de condutores, funcionários de secretarias municipais e agentes de trânsito. A parceria com a universidade se deu por meio do Grupo de Estudos em Transportes, do Instituto de Engenharia Civil.

De acordo com avaliação Marcos Traad, diretor-geral do Detran-PR, “o Governo do Paraná considera fundamental a parceria com o ONSV. As atividades conjuntas têm se mostrado essenciais na luta pela redução de acidentes e de mortes no trânsito. Estas palestras, em diversas regiões do Estado,  repercutem positivamente na sociedade e incentivam a participação e adesão de entidades do meio acadêmico, da saúde, entidades representativas do comércio e da indústria, dentre outros, para contribuir nas mudanças que se pretende na área de trânsito”, considera.

Sem comentários

Escreva um comentário