fbpx
Loader
CNN Rádio apresenta o tema do Movimento Maio Amarelo 2021 aos ouvintes, com participação do diretor-presidente do OBSERVATÓRIO
27084
post-template-default,single,single-post,postid-27084,single-format-standard,bridge-core-2.3.6,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-22.2,qode-theme-bridge,disabled_footer_top,qode_header_in_grid,wpb-js-composer js-comp-ver-6.2.0,vc_responsive

CNN Rádio apresenta o tema do Movimento Maio Amarelo 2021 aos ouvintes, com participação do diretor-presidente do OBSERVATÓRIO

CNN Rádio apresenta o tema do Movimento Maio Amarelo 2021 aos ouvintes, com participação do diretor-presidente do OBSERVATÓRIO

Os apresentadores Roberto Nonato e Larissa Calderari, do programa CNN Manhã, da CNN Rádio de ontem (03), conversaram com o diretor-presidente do OBSERVATÓRIO Nacional de Segurança Viária, José Aurelio Ramalho, sobre o tema do Movimento Maio Amarelo deste ano “Respeito e Responsabilidade. Pratique no Trânsito”.

Conforme Ramalho explicou, a escolha do tema é pertinente ao momento em que vivemos. “Respeito tem sido um alicerce para tudo. Para que tenhamos uma sociedade mais igualitária, uma condição melhor para toda a sociedade, então, o tema não podia ser melhor do que respeito e responsabilidade, pratique no trânsito”, disse.

O diretor-presidente do OBSERVATÓRIO enfatizou que o ideal seria que todos nós praticássemos esse mote durante todos os meses do ano e que, o momento atual pelo qual passamos com as discussões sobre uso ou não uso da máscara, ou distanciamento social por questões da pandemia de Covid-19, pode ser considerado semelhante aos cuidados no trânsito.

“Tem gente que ainda questiona isso, então, a travessia de pedestre também não é obedecida, a questão do limite de velocidade, é uma falta de responsabilidade quem excede o limite, o não uso do cinto [de segurança], muitas vezes são decisões, escolhas que o cidadão faz e não podemos chamar de fatalidade ou de acidente. Ou seja, o que me levou àquela situação de risco e consequentemente a uma sequela ou um óbito, foi justamente a minha decisão, a minha falta de respeito e a minha falta de responsabilidade”, argumentou.

Questionado sobre quais foram os fatores que contribuíram para a diminuição constante de registros de mortes no trânsito desde 2014, em um levantamento feito entre o período de 2001 a 2019, pelo próprio ONSV, Ramalho ressaltou existem vários fatores que deveriam ser considerados, como a crise econômica, além do aumento das fiscalizações da Lei Seca em vários estados do Brasil, e iniciativas de segurança viária e conscientização para um trânsito mais seguro como o Movimento Maio Amarelo.

“O Maio Amarelo nasce justamente em 2014, quando chegamos ao pico desse número de mortes, eram mais de 40 mil, e de 2014 para cá, a gente vem numa descendente, não tivemos um acréscimo sequer em nenhum dos anos. Não é motivo de comemorar porque o número é elevadíssimo”, alertou.

Perdeu o programa?

Assista ou ouça a entrevista completa (a partir de 1:44:49 até 2:00) em:

No Comments

Post A Comment