fbpx
Loader
MORTES DE MOTOCICLISTAS EM SINISTROS DE TRÂNSITO EM INDAIATUBA/SP; OBSERVATÓRIO AVALIA DADOS NA TV LOCAL
28576
post-template-default,single,single-post,postid-28576,single-format-standard,bridge-core-2.3.6,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-22.2,qode-theme-bridge,disabled_footer_top,qode_header_in_grid,wpb-js-composer js-comp-ver-6.2.0,vc_responsive,elementor-default,elementor-kit-28047

MORTES DE MOTOCICLISTAS EM SINISTROS DE TRÂNSITO EM INDAIATUBA/SP; OBSERVATÓRIO AVALIA DADOS NA TV LOCAL

MORTES DE MOTOCICLISTAS EM SINISTROS DE TRÂNSITO EM INDAIATUBA/SP; OBSERVATÓRIO AVALIA DADOS NA TV LOCAL

Das 21 ocorrências de trânsito fatais registradas este ano, 15 envolveram motociclistas

O Programa jornalístico do Rubinho, da TV Sol Comunidade, canal de TV local da cidade de Indaiatuba, interior de São Paulo, de hoje (12), destacou os dados de sinistros de trânsito envolvendo motociclistas este ano, na cidade. A coordenadora de Educação do OBSERVATÓRIO Nacional de Segurança Viária, Roberta Torres, foi ouvida pelo programa para avaliar os dados referentes a essas ocorrências.

Segundo os dados levantados pela reportagem do Programa do Rubinho, dos 20 casos de vítimas fatais por sinistros de trânsito, 15 foram com motociclistas. Além disso, conforme apontado pela matéria, 80% das pessoas em recuperação ortopédica na cidade, se envolveram em ocorrências de trânsito com motocicletas.

Conforme explicou Roberta Torres: “É extremamente preocupante porque uma premissa que a gente tem no trânsito é de que ninguém precisaria morrer vítima de um acidente de trânsito. Os acidentes são evitáveis. Quando a gente analisa um evento que aconteceu, seja uma batida, uma colisão, um atropelamento, mesmo não sendo perito, a gente consegue observar ali uma sequência de erros que tiram essa ideia de fatalidade. Porque não é uma fatalidade, na maioria dos casos tem o envolvimento do excesso de velocidade ou da ausência, não para a causa do acidente, mas para a gravidade, a ausência do cinto de segurança ou álcool e direção, ou uma ultrapassagem em um local proibido. Então, tudo isso, se tivesse tido uma postura adequada, segura, seja do motorista, do pedestre ou do motociclista, teria sido evitado”, destacou.

Em comparação aos anos anteriores, Indaiatuba registrou, 20 mortes no trânsito em 2019, 26 em 2020, e este ano, até o mês de novembro, o município registra 21 mortes em sinistros de trânsito. Questionada sobre esses altos números, a coordenadora de Educação do OBSERVATÓRIO destacou que o mau comportamento no trânsito é o principal fator para essas infrações e ocorrências.

Segundo Roberta Torres, “a imprudência de achar que ‘nada vai acontecer comigo’, principalmente entre os jovens, de que ‘sempre vai acontecer com o meu vizinho, mas nunca comigo, eu dirijo bem, eu piloto bem’. Às vezes, as pessoas pensam até que dirigem melhor depois que ingerem bebida alcoólica porque vai mais devagar. É uma mentira acreditar nisso. Porque o álcool acaba prejudicando muito, não apenas a direção, mas várias outras coisas que vamos fazer no nosso dia a dia, mas na direção isso pode acabar em morte”, informou.

A coordenadora de Educação do OBSERVATÓRIO destacou as ações que a entidade desenvolve para a prevenção e conscientização da sociedade, entre eles, estudos e pesquisas para conhecer e entender os problemas que permeiam o trânsito brasileiro. Além disso, destacou também as campanhas voltadas para a Educação para o Trânsito.

Assista à matéria completa (a partir de 23:40) em:

https://www.facebook.com/tvsol.comunidade/videos/1080059242797424/

No Comments

Post A Comment