fbpx
Loader
OBSERVATÓRIO comenta na Rádio Bandeirantes aumento de quase 50% dos sinistros de trânsito envolvendo motociclistas no estado de São Paulo
28084
post-template-default,single,single-post,postid-28084,single-format-standard,bridge-core-2.3.6,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-22.2,qode-theme-bridge,disabled_footer_top,qode_header_in_grid,wpb-js-composer js-comp-ver-6.2.0,vc_responsive,elementor-default,elementor-kit-28047

OBSERVATÓRIO comenta na Rádio Bandeirantes aumento de quase 50% dos sinistros de trânsito envolvendo motociclistas no estado de São Paulo

OBSERVATÓRIO comenta na Rádio Bandeirantes aumento de quase 50% dos sinistros de trânsito envolvendo motociclistas no estado de São Paulo

Primeiro semestre deste ano registrou 38. 924 ocorrências, segundo dados do Detran/SP

Programa Pulo do Gato, da Rádio Bandeirantes, destacou o aumento de quase 50% no número de sinistros de trânsito envolvendo motociclistas no primeiro semestre deste ano, no estado de São Paulo. O diretor-presidente do OBSERVATÓRIO Nacional de Segurança Viária (ONSV), José Aurelio Ramalho, foi procurado pela rádio para avaliar esse cenário.

“Devido à pandemia, houve um alto índice de desemprego no país e certamente, muitas pessoas recorreram à motocicleta para fazer serviços de entrega. Acontece que o serviço de entrega, ele é regulamentado, existem regras, existe o treinamento necessário para o motociclista, ele é norteado dentro de regras”, ressaltou Ramalho.

Segundo o levantamento do Detran/SP (Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo), somente no primeiro semestre deste ano, foram registradas 38.924 ocorrências de trânsito, alta de 47%, se compararmos com o mesmo período de 2020, quando houve 26.240 registros de sinistros.

Conforme levantamento do OBSERVATÓRIO, ainda nesse mesmo período do comparativo, também houve aumento nas infrações ligadas à condução de motocicletas. Em abril de 2019, foram aplicadas 25.870 multas a condutores que não utilizavam capacete. No mesmo mês deste ano, registrou-se 30.601 casos. O diretor-presidente do ONSV, o problema está ligado à falta de um modelo de formação mais completo para o condutor da categoria.

“Ele é muito, muito simples, básico. Que não ensina premissas básicas, por exemplo, como frenagem, como entrar em uma curva, a questão de ponto cego, principalmente porque essa capacitação é feita em primeira marcha, dentro do ambiente controlado, temos proposto mudanças da legislação para que esses motociclistas vão para a rua devidamente habilitados”, argumentou.

Ouça a entrevista completa:

 

No Comments

Post A Comment