Loader
OBSERVATÓRIO FALA À BBC NEWS BRASIL SOBRE MORTES NO TRÂNSITO NO BRASIL
29528
post-template-default,single,single-post,postid-29528,single-format-standard,bridge-core-2.3.6,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-22.2,qode-theme-bridge,disabled_footer_top,qode_header_in_grid,wpb-js-composer js-comp-ver-6.9.0,vc_responsive,elementor-default,elementor-kit-28047

OBSERVATÓRIO FALA À BBC NEWS BRASIL SOBRE MORTES NO TRÂNSITO NO BRASIL

OBSERVATÓRIO FALA À BBC NEWS BRASIL SOBRE MORTES NO TRÂNSITO NO BRASIL

Mortes entre ocupantes de automóveis cresceram duas vezes, enquanto entre motociclistas o aumento foi de 18 vezes nos últimos 24 anos

A BBC News Brasil destacou os números de mortes e lesões no trânsito brasileiro e revelou que os motociclistas são os que mais morrem envolvidos em sinistros de trânsito. O diretor-presidente do OBSEVATÓRIO Nacional de Segurança Viária, José Aurelio Ramalho, foi ouvido pela reportagem para analisar esses dados.

De acordo com o Instituto para a Avaliação de Métricas em Saúde da Universidade Washington, nos Estados Unidos, batidas e atropelamentos são a oitava principal causa de morte no país. Se subtrairmos as doenças desse ranking, os sinistros de trânsito figuram em segundo lugar, atrás apenas da violência interpessoal.

Nas últimas duas décadas, o número de vítimas do trânsito no país vem caindo aos poucos: entre 2011 e 2020, essa taxa foi reduzida em 30%. Mas isso não foi suficiente para que o Brasil cumprisse a meta de cortar em 50% esse tipo de fatalidade, como estipulado pela OMS (Organização Mundial da Saúde) e a ONU (Organização das Nações Unidas).

Um levantamento feito pela BBC News Brasil a partir do DataSUS — o banco de dados públicos do Sistema Único de Saúde — revela que existe um perfil de quem mais morreu nas ruas, avenidas e estradas nos últimos anos.  “Essas mortes costumam seguir um padrão claro: em sua maioria são motociclistas, jovens e indivíduos do sexo masculino”, analisa José Aurelio Ramalho, diretor-presidente do OBSERVATÓRIO Nacional de Segurança Viária.

De acordo com os dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o Brasil possuía em 2006 um total de 45 milhões de veículos de todos os tipos — destes, 27 milhões (61% do total) eram carros e 9 milhões (20%) eram motocicletas. Em 2020, esses números mais que dobraram. A frota nacional passou a contar com 107 milhões de veículos, com 58 milhões (53%) de carros e 28 milhões (26%) de motos.

“E a grande questão é que, quando você está numa moto e cai ou colide em alta velocidade, o para-choque costuma ser o próprio rosto do condutor”, complementa Ramalho.

Leia a matéria completa: https://www.bbc.com/portuguese/brasil-61181312

Foto: Getty Images/BBC News Brasil – divulgação

No Comments

Post A Comment