Loader
RODOVIAS FEDERAIS BRASILEIRAS REGISTRAM MAIS DE 400 MORTES NOS PRIMEIROS NOVE MESES DESTE ANO
31082
post-template-default,single,single-post,postid-31082,single-format-standard,bridge-core-2.3.6,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-22.2,qode-theme-bridge,disabled_footer_top,qode_header_in_grid,wpb-js-composer js-comp-ver-6.9.0,vc_responsive,elementor-default,elementor-kit-28047

RODOVIAS FEDERAIS BRASILEIRAS REGISTRAM MAIS DE 400 MORTES NOS PRIMEIROS NOVE MESES DESTE ANO

RODOVIAS FEDERAIS BRASILEIRAS REGISTRAM MAIS DE 400 MORTES NOS PRIMEIROS NOVE MESES DESTE ANO

Excesso de velocidade, imprudência e irresponsabilidade ao volante são os principais fatores para esses dados alarmantes

O Jornal da Record da última sexta-feira (11), noticiou uma ocorrência de trânsito que resultou no óbito de duas adolescentes, em Maristela, Distrito de Laranjal Paulista, interior de São Paulo. Essa infração soma-se a mais 400 registradas em rodovias federais brasileiras de janeiro a setembro deste ano, devido ao excesso de velocidade. Para comentar sobre a fiscalização e os limites de velocidades nesses trechos, a reportagem conversou com o Observador Certificado pelo OBSERVATÓRIO Nacional de Segurança Viária, Thyrso Guilarducci.

A velocidade máxima no local do sinistro envolvendo as adolescentes é de 60 km/h, mas segundo a PRF (Polícia Rodoviária Federal), o automóvel que provocou o sinistro estava a 160 km/h, e o condutor, dirigia embriagado.

Segundo o Observador Certificado Thyrso Guilarducci explicou, a determinação de velocidade é feita por estudos que levam em conta a área e a situação da via.

“A placa de sinalização é uma velocidade sugerida como máxima. Não quer dizer que é segura essa velocidade máxima, porque as condições adversas exigem que o motorista use o bom senso e reduza a velocidade por exemplo, em um dia de chuva, dia com garoa, neblina”, reforçou Thyrso Guilarducci.

Segundo dados da PRF, as ocorrências de trânsito causadas por excesso de velocidade tiraram a vida de 403 pessoas de janeiro a setembro de 2022. Entre feridos, são 1.183 envolvidos em sinistros com gravidade.

Assista à reportagem completa: https://twitter.com/jornaldarecord/status/1591205371108286464?t=cawPYpqwa1sWbFOEzourBg&s=08

1 Comment

Post A Comment