fbpx
Loader
TV Câmara São Paulo: Maio Amarelo busca conscientizar motoristas para redução de sinistros de trânsito
27143
post-template-default,single,single-post,postid-27143,single-format-standard,bridge-core-2.3.6,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-22.2,qode-theme-bridge,disabled_footer_top,qode_header_in_grid,wpb-js-composer js-comp-ver-6.2.0,vc_responsive

TV Câmara São Paulo: Maio Amarelo busca conscientizar motoristas para redução de sinistros de trânsito

TV Câmara São Paulo: Maio Amarelo busca conscientizar motoristas para redução de sinistros de trânsito

A TV Câmara São Paulo entrevistou o diretor-presidente do OBSERVATÓRIO Nacional de Segurança Viária, José Aurelio Ramalho, para falar sobre os sinistros de trânsito serem a terceira maior causa de óbitos no País, e como as ações do Movimento Maio Amarelo podem reduzir esses índices.

Segundo Ramalho, o Maio Amarelo nasceu em 2014, com o intuito de chamar a atenção da sociedade para os índices alarmantes de acidentes de trânsito que ocorrem no Brasil. “Para vocês terem uma ideia, o número de acidentes com mortes e feridos no trânsito no mundo inteiro tem números de pandemia”, alertou o diretor-presidente do OBSERVATÓRIO.

Com o mote “Respeito e Responsabilidade. Pratique no Trânsito”, o Movimento Maio Amarelo busca promover a empatia e humanização das estatísticas de sinistros de trânsito e chamar a atenção de como a impaciência e intolerância refletem nas atitudes das pessoas quando estão dirigindo.

O diretor-presidente do OBSERVATÓRIO ainda alertou, “A redução de velocidade está diretamente ligada à redução de mortes e feridos graves. O mundo está experimentando isso. Essa é uma das diretrizes que a Organização das Nações Unidas e a Organização Mundial de Saúde está passando aos países. Os países que já adotaram essa medida, que a gente chama até de ‘zonas calmas’, ou seja, o local que tem uma grande circulação de pedestres, motociclistas e ciclistas tem que ter uma velocidade menor”, encerrou.

Assista a matéria completa, em:

No Comments

Post A Comment