OBSERVATÓRIO | OBSERVATÓRIO comenta sobre multas por falta de cinto de segurança na região do Polo Têxtil
22235
post-template-default,single,single-post,postid-22235,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-10.1.1,wpb-js-composer js-comp-ver-5.0.1,vc_responsive

OBSERVATÓRIO comenta sobre multas por falta de cinto de segurança na região do Polo Têxtil

OBSERVATÓRIO comenta sobre multas por falta de cinto de segurança na região do Polo Têxtil

O diretor-presidente do OBSERVATÓRIO Nacional de Segurança Viária, José Aurelio Ramalho, comentou sobre a alta no número de multas causado pela falta do uso do cinto de segurança nas cinco cidades da região do Polo Têxtil (RPT), que abrange Americana, Santa Bárbara d’Oeste, Nova Odessa, Sumaré e Hortolândia, no interior de São Paulo, para o jornal “O Liberal”.

Somente na região, de janeiro a maio deste ano, 7.140 motoristas foram autuados, segundo levantamento do Liberal, baseando-se em multas aplicadas pelo Departamento Estadual de Trânsito (Detran), Polícia Militar Rodoviária (PMR) e Guardas Municipais (GM). Para o diretor-presidente do OBSERVATÓRIO, José Aurelio Ramalho, um dos principais motivos para a desobediência é a falta de percepção de risco dos motoristas em relação ao trânsito.

“Não só o cinto, mas o uso do celular, excesso de velocidade, não usar cadeirinha quando transporta criança. O motorista não tem a percepção de risco. É isso que deveria ser passado nas autoescolas. Ao invés de ficar passando placas para passar no exame, a gente devia ensinar para o indivíduo percepções de risco para que ele possa mudar o comportamento”, considera Ramalho.

Leia a matéria em: https://liberal.com.br/cidades/regiao/um-e-multado-a-cada-meia-hora-por-falta-de-cinto-na-regiao-1035077/

Sem comentários

Escreva um comentário