OBSERVATÓRIO | SINDSEG SP E SINCOR-SP UTILIZARAM REALIDADE VIRTUAL PARA SE PERCEBER OS PERIGOS DA MISTURA DE ÁLCOOL E DIREÇÃO
18944
post-template-default,single,single-post,postid-18944,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-10.1.1,wpb-js-composer js-comp-ver-5.0.1,vc_responsive

SINDSEG SP E SINCOR-SP UTILIZARAM REALIDADE VIRTUAL PARA SE PERCEBER OS PERIGOS DA MISTURA DE ÁLCOOL E DIREÇÃO

SINDSEG SP E SINCOR-SP UTILIZARAM REALIDADE VIRTUAL PARA SE PERCEBER OS PERIGOS DA MISTURA DE ÁLCOOL E DIREÇÃO

Durante o mês de maio, o Sindseg SP e o Sincor-SP, em parceria com a Artesp e a ONG Picadeiro do Asfalto, realizaram ações de Realidade Virtual (VR na sigla em inglês), em que as pessoas tiveram a oportunidade de vivenciar simulações de situações de risco, como dirigir alcoolizado ou desrespeitar as leis de trânsito. A ação impactou mais de 40 mil pessoas de 13 cidades do estado de São Paulo.

 “Precisamos educar a nossa sociedade. A escolha de beber e dirigir é muito perigosa para todos, seja motorista, pedestre, ciclista ou passageiro. São essas atitudes imprudentes que tornam o Brasil um dos recordistas mundiais de acidentes de trânsito. Por isso, o Sindseg SP está engajado nesta causa. Se não mudarmos nossas atitudes, até 2030, 2,4 milhões de pessoas irão morrem nas ruas e estradas, segundo a OMS”, afirma Mauro Batista, presidente do Sindseg SP.

“Nesta importante campanha, os corretores de seguros de todo o Estado de São Paulo atuam como verdadeiros agentes do bem-estar social, levando a mensagem de que, com prudência no trânsito, podemos garantir a segurança dos nossos familiares, amigos e de toda a sociedade brasileira”, enfatiza o presidente do Sincor-SP, Alexandre Camillo.

O Movimento Maio Amarelo é fundamental para a redução de mais de 50 mil mortes nas rodovias e ruas. Segundo a OMS, se nada for feito, mais de 1,9 milhão de pessoas em todo o mundo devem morrer no trânsito até 2020 (passando para a quinta maior causa de mortalidade) e 2,4 milhões, até 2030. Neste período, entre 20 e 50 milhões de pessoas sobreviverão aos acidentes de trânsito, porém com sequelas, muitas vezes, incapacitantes.

Sem comentários

Escreva um comentário