Artigos

UMA VIDA SEM ÉTICA É UMA VIDA SEM ESCOLHA: NO TRÂNSITO, ESCOLHA A VIDA

Especial Maio Amarelo 2023

Escrito por Portal ONSV

14 ABR 2023 - 10H59 (Atualizada em 14 ABR 2023 - 11H11)

*Guto Castro

Muito feliz com o tema do Maio Amarelo deste ano: “No trânsito, escolha a vida.” Uma vida sem escolha é uma vida sem ética. Ética não é um conjunto de leis fechadas. Ética tem haver com liberdade de escolha, livre arbítrio. A possibilidade que temos de escolher como queremos conviver. A ética parte de uma primícia: a nossa convivência pode ser diferente do que ela é. E, portanto, nossa convivência pode ser melhor do que ela é.

Ética é a inteligência compartilhada a serviço do aperfeiçoamento da convivência. Ética é porque há liberdade e se abrimos mão da liberdade, de fazer a sociedade que queremos, teremos também aberto mão da ética e da escolha para um mundo melhor.

Aristóteles acreditava que o homem poderia ser melhor através das escolhas de uma série de bons hábitos nos ensinados na escola, na universidade. Nós não nascemos prontos. Somos educados, condicionados, para fazer o bem. E por isso podemos aprender e realizar escolhas que não irão nos machucar. Esse mundo que nos apresenta hoje resulta de nossas escolhas. E assim quando mais tarde você assumir a escolha, por exemplo, de dirigir e não beber – você estará realizando uma opção pela vida. Quando você não ultrapassar os limites de velocidade da via, também; assim como não avançar o sinal vermelho ou dirigir e não falar no celular, entre outras orientações que você aprende pela vida e para a vida.

O contrário, o malefício é também uma escolha, assim como o benefício. Outros poderão até justificar o malefício dizendo que a culpa é do outro, do sistema, etc. Denomina-se má fé quando você nega a própria liberdade de fazer escolhas, sobretudo, pelo bem comum. Tudo isso para justificar comportamentos que nos envergonham no trânsito e na vida, que nos causam tristeza e que conscientemente sabíamos que não deveríamos ter tido.

A verdade é que atribuir a razão das nossas causas as outras circunstâncias que não a nossa liberdade de escolha nos convêm porque essa coisa de ser livre pode parecer um privilégio. Mas, não é. Liberdade de escolha implica em responsabilidade, respeito e obediência aos contratos sociais – a Constituição, o Código de Trânsito Brasileiro, o Código Civil, o estatuto do condomínio, etc.

O professor de Ética do Curso de Comunicação da USP e palestrante, Clóvis de Barros Filho costuma dizer em suas conferências algo interessante sobre essas questões. Ele nos fala que “se você vai ao Exército, por exemplo, o primeiro valor do banner é a disciplina e a melhor solução é sempre a mais disciplinada. E na hora da dúvida, quando a corneta tocar às cinco da manhã você levanta. A disciplina é a referência. Mas, se você sai do Exército e vai para um asilo de idosos, o primeiro valor ali é o repouso. A melhor vida é a mais repousante. E se alguma corneta tocar às cinco da manhã, os seus habitantes levantarão no máximo para ir ao banheiro e voltarão para dormir porque aquilo de tocar corneta às cinco da manhã no asilo foi uma escolha errada, foi um erro”.

Você que é livre para fazer suas escolhas também terá que criar uma hierarquia de valores. E não é uma escolha individual, isso é construído coletivamente. Posto que a sua escolha individual de ser feliz não é maior do que a escolha coletiva da sociedade de ser feliz.

Portanto, a ética é um exercício coletivo de escolha permanente. Oxalá, que as escolhas sejam sempre para o bem-comum. A escolha antecede a causa. Seria muito ruim não ter a opção de escolha. Mas, escolhendo você é responsável pela escolha que fez. E para fazer boas escolhas é preciso abdicar dos nossos instintos e apetites mais selvagens. A ética, portanto, é um zelo para boa convivência, uma escolha para boa convivência e a manutenção do nosso bem supremo que é a vida.

* Guto Castro é filósofo, educador, especialista em filosofia clínica e observador certificado pelo OBSERVATÓRIO Nacional de Segurança Viária.

Brasil_registra_uma_multa_a_cada_12_segundos_pelo_nao_uso_do_cinto_de_seguranca
Observadores Certificados

Brasil registra uma multa a cada 12 segundos pelo não uso do cinto de segurança

O jornal Band Cidade, da TV Bandeirantes Bahia, destacou no último sábado (06), que o Brasil registra uma multa a cada 12 segundos pelo não uso do cinto de segurança. Apesar do item ser obrigatório muitos condutores e passageiros ainda não o utilizam. Os Observadores Certificados Guilherme Nogueira e Urislan Carvalho falaram sobre a eficácia do cinto de segurança, que reduz em até 50% o risco de morte em caso de uma ocorrência de trânsito.

Faixa_Azul_projeto_de_lei_pretende_implementar_sinalizacao_de_seguranca_em_sao_jose_dos_campos
Matérias

Faixa Azul: Projeto de Lei pretende implantar sinalização de segurança para motociclistas em São José dos Campos/SP

A TV Câmara de São José dos Campos, destacou na última quinta-feira (04), a aprovação de um Projeto de Lei que visa implementar a Faixa Azul para motociclistas na cidade, localizada no interior de São Paulo. O head de Mobilidade Segura do OBSERVATÓRIO Nacional de Segurança Viária, Pedro Borges, falou à reportagem sobre a importância dessa iniciativa.

Observadora_Certificada_fala_sobre_educacao_para_o_transito
Observadores Certificados

Observadora Certificada fala sobre Educação para o trânsito e dá dicas de como implementar em sala de aula, na TV Poços/MG

A Pedagoga, Educadora de Trânsito e Observadora Certificada, Stefania Alvise, foi a convidada do programa Conexão, da TV Poços – emissora local da cidade de Poços de Caldas, no Sul de Minas Gerais -, na última quinta-feira (27), para falar sobre a importância da Educação para o trânsito nas escolas e como implementar a didática em sala de aula.

Saiba mais

Boleto

Reportar erro!

Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou de uma informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Portal ONSV, em Artigos

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.